13 dicas para planejar o orçamento do fim do ano e começar 2016 no azul

Como controlar as despesas e ter mais dinheiro em 2016? Não serão as simpatias de fim de ano que vão garantir isso, mas o planejamento financeiro.

Para o educador financeiro Conrado Navarro, idealizador do site Dinheirama.com, as pessoas vão ter de colocar o controle financeiro como prioridade no dia a dia, pois este deverá ser um Natal de austeridade.

“Lembre dos objetivos que você não cumpriu nos anos anteriores e não deixe para pensar nisso só com um copo de champanhe na mão, pois a promessa tende a ser vazia”, diz Navarro.

“Pense em como e quando poderá atingir esse objetivo, quanto irá custar e comece a economizar para isso.”

Segundo o educador financeiro Reinaldo Domingos, presidente da Dsop, para fazer o planejamento financeiro é preciso anotar, durante um mês, rigorosamente todos os gastos e receitas da família.

A partir daí, será possível identificar os excessos e começar a economizar para realizar os sonhos tais como férias, cursos, a compra da casa própria e a independência financeira.

Veja dicas as dicas dos especialistas:

1) Planejamento financeiro

Faça uma lista dos ganhos (renda e ganhos extras como 13°, bonificações e férias) e de todas as despesas. Durante um mês, pelo menos, anote tudo, minuciosamente. Não se esqueça nem mesmo do cafezinho na padaria. Existem diversos aplicativos para celular e planilhas na internet que facilitam essa anotação. Exemplos são as planilhas da BM&FBovespa (link encurtado: http://zip.net/bvsh5J) e do portal Meu Bolso em Dia, da Febraban (link encurtado: http://zip.net/bnshMy)

2) Avalie sua situação financeira

unto com toda a família, avalie a situação das finanças. A família tem condições de fazer novos gastos ou já está com pendências financeiras? Conrado Navarro diz que o ideal é que as despesas fixas tais como moradia (incluindo aí aluguel e financiamento da casa própria), transporte e educação não ultrapassem 50% do rendimento líquido e que as dívidas (tudo o que se compra em parcelas) fiquem limitadas a 30%

3) Corte os gastos

Identifique os excessos, que geralmente representam 30% das despesas das famílias e faça os cortes necessários

4) Planeje os presentes de Natal

Avalie quanto poderá reservar para comprar presentes e artigos das festas de fim de ano, que devem ser pagos preferencialmente à vista. Se a pessoa está endividada, ela deve reorganizar a sua vida financeira antes de pensar em presentear amigos e parentes. O presente precisa ser coerente com o orçamento

5) Fuja das dívidas

Evite se endividar. Prefira economizar para comprar à vista ou parcelar pelo menor período possível. Tudo o que for comprado em parcelas pode se encaixar como dívidas, à exceção do financiamento da casa própria, que para Navarro, deve ser separado como despesa fixa de moradia. Compras parceladas no cartão de crédito, financiamento do carro, tudo o que não for pago à vista deve ser considerado como dívida. O valor das parcelas não deve ultrapassar os 30% do rendimento líquido

6) Cheque especial e cartão de crédito

Evite ao máximo usar o limite do cheque especial e pagar a parcela mínima do cartão de crédito. São as linhas de crédito mais caras do mercado. Caso esteja endividado nessas modalidades, tente substituir por créditos mais baratos, como empréstimo consignado ou pessoal

7) Prepare-se para janeiro

Reserve parte do 13º para as despesas do início do ano como IPVA, IPTU, matrícula e material escolar. Janeiro não é surpresa para ninguém. O ideal é que as despesas do começo do ano já estejam previstas no ano todo e seja feita uma poupança todo mês para pagar essas dívidas. Um exemplo: se o valor total será de R$ 4.500, o ideal é que durante o ano sejam economizados R$ 375 por mês para garantir o pagamento desse valor sem aperto

8) Você precisa do seu carro?

Carro é um bem de consumo, não um patrimônio. O custo mensal médio de manutenção é de 3% do valor do carro. A manutenção de um veículo de R$ 20 mil, por exemplo, tem um custo de aproximadamente R$ 600 mensais com gasolina, seguro, licenciamento, IPVA, manutenção… Reavalie se é realmente necessário

9) Cuidado ao parcelar viagens

Prefira uma viagem mais barata e dentro do orçamento. Com o dólar alto, as viagens internacionais ficaram ainda mais caras. Será que vale a pena passar dificuldades o ano todo por alguns dias de diversão?

10) Tenha metas

Estabeleça objetivos e metas de curto, médio e longo prazo. Os objetivos de curto prazo são aqueles a serem realizados em até um ano, tal como uma viagem de férias. Um objetivo de de médio prazo (cinco anos) pode ser a compra ou troca de um carro. Exemplos de longo prazo (mais de dez anos) são a compra da casa própria e aposentadoria

11) Pratique o desapego

Não compre coisas por impulso e não guarde aquilo de que não precisa

12) Poupe e invista sempre

Poupe no mínimo 10% do seu rendimento líquido e invista sempre. Não adianta guardar dinheiro num mês e depois, nunca mais. Mesmo que poupe pouco, é a regularidade que garante a formação da poupança

13) Reveja os objetivos

Periodicamente (uma sugestão é de seis em seis meses), reveja todos os objetivos e se estão sendo alcançados. Faça as reformulações necessárias

Fonte:http://economia.uol.com.br/

Share This: