ANO NOVO, GUARDA-ROUPA ORGANIZADO

Geralmente, o fim do ano é um período cercado de expectativas, pois é o momento de fazer planos nos campos familiar e profissional, além de ser uma boa oportunidade para colocar algumas questões pessoais em ordem. Nesse clima, que tal incluir a arrumação do guarda-roupa na lista de prioridades? Para começar, de acordo com a personal organizer Debora Ambrosio Bacan, é preciso entender que a organização, seja do guarda-roupa ou de qualquer outro ambiente, envolve soluções personalizadas, agregando funcionalidade, uso racional do espaço, metodologia e lógica.

“Isso significa que quando você for organizar o guarda-roupa é preciso tempo e disponibilidade para analisar o que deve ficar e o que deve sair. De que maneira pode ficar mais prático? Como economizar o seu tempo e como deixar aparentemente mais bonito? Analise quanto tempo você dispõe no seu dia para esta tarefa: 15 ou 30 minutos, uma ou cinco horas, ou um dia inteiro? Independente de quanto tempo tenha, organize seu guarda-roupa por etapas. Escolha uma gaveta e vá avançando para as prateleiras, varões e roupeiros, até que tudo esteja organizado”, explica.

Para que a manutenção dure por mais tempo, alguns truques podem ajudar, como usar cabides apropriados para pendurar vestidos, saias, calças ou jaquetas; deixar roupas mais delicadas, como vestidos de festa, dentro de sacolas apropriadas; pendurar a roupa por tipos ou cores; separar as gavetas por gêneros de roupas, como íntimas, de ginástica, blusas, etc; e usar organizadores como sapateiras, caixas para cosméticos ou cabides de pendurar bijuterias.

“Produtos organizadores ajudam a manter as coisas acessíveis em seus devidos lugares e colaboram para obter o máximo de funcionalidade possível. Para potencializar essa tarefa, você pode utilizar caixas, colmeias, cabides especiais, meias prateleiras, sapateiras, ganchos, separadores de prateleiras, nichos, capas, varões, cestos e outros. Se além de funcionalidade você procura estética, considere padronizar seus cabides e produtos organizadores”, pontua a profissional.

Apesar de haver diversas técnicas para colocar o guarda-roupa em ordem, o ideal é priorizar a organização de acordo com o gosto e necessidade de cada um, para que fique mais funcional para o dia a dia de cada indivíduo. “Não existe uma única forma de organizar. A maneira de guardar blusas e camisas, por exemplo, pode ser por cor, textura e tipo. Uma sugestão é separar as roupas por estação, depois por tipo, textura (linho, seda, malha, jeans, sarja, outros) e, por fim, pelas cores”, ensina.

Desapegue

Segundo Debora, existem alguns critérios para o descarte, que é dividido em três etapas: conserto, doação e lixo. “O conserto é algo mais simples de identificar; então vamos focar no que pode ser doado e no que não tem condição de ser utilizado por mais ninguém. Para o lixo, devem ir peças rasgadas, furadas, manchadas, quebradas, sem par, ou seja, o que não tem conserto. Já as peças que entram na categoria de doação são aquelas que não servem mais, estão fora de moda e não são usadas há mais de 12 meses. Se ficar em dúvida com alguma peça, prove-a, veja se ela transmite a imagem que você quer passar e então tome a decisão”. Para a personal organizer, o descarte é um ponto bastante delicado, pois peças que não são utilizadas há muito tempo podem estar guardadas por um valor sentimental. “Neste caso, deve-se analisar o que é mais importante, guardar a peça sem uso ou dar ‘nova vida’, doando-a para outra pessoa que irá utilizá-la”, conclui.

Como manter o guarda-roupa sempre higienizado?

O recomendado é fazer faxina, no mínimo, uma vez por ano, retirando tudo do guarda-roupa e limpando-o com uma solução de água e três colheres de chá de vinagre branco. “Aproveite para se livrar de tudo que está somente ocupando espaço. Para mantê-lo higienizado, procure deixar as portas abertas, durante uma hora por semana para evitar o mofo e o mau cheiro. A manutenção da limpeza deve ser com um pano úmido somente com água e depois passar um pano seco e limpo. Mantenha um espaço de, pelo menos, um dedo entre as pilhas de roupas e os cabides e jamais guarde peças em embalagens plásticas; somente se for a vácuo”, finaliza.

Saco a vácuo

Os sacos a vácuo são uma boa alternativa para economizar espaço e manter as roupas livres do mofo, mas só vale a pena utilizá-los para peças que ficarão guardadas por cinco ou seis meses, como edredons e roupas de uso sazonal. Artigos de fibras naturais não podem ser embalados a vácuo.

Fonte:http://www.clickguarulhos.com.br/

Share This: