Ansiedade é um dos principais fatores ligados à enxaqueca infantil

Muitas pessoas sofrem com enxaqueca e é bastante comum vermos adultos reclamando do problema; contudo, um estudo recente do departamento de Cefaleia da Academia Brasileira de Neurologia (ABN) indicou que 39% das crianças de 6 anos já tiveram dor de cabeça e a ansiedade pode ter forte ligação com essa descoberta.
De acordo com a pediatra Sônia Liston (foto), do Complexo Hospitalar Dr. Edmundo Vasconcelos, uma das principais causas da enxaqueca infantil é a ansiedade e, na maioria dos casos, não tem associação com os fatores que causam dores de cabeça em adultos, estresse ou pressão cotidiana.
“A geração atual é mais ansiosa. Os pais vivem ansiosos e transmitem isso sem intenção aos filhos. Na medida em que adquirem mais idade, as ansiedades inerentes a cada idade tendem a aumentar, onde se incluem as cobranças escolares, atritos entre amigos, cobrança dos pais e professores e competitividade em geral”, explica a médica.
Assim como acontece com os adultos, geralmente, a dor de cabeça nas crianças é caracterizada por uma dor palpitante, similar a “marteladas” em um ou ambos os lados da cabeça e, em muitas vezes, pode provocar vômitos, tonturas e enjoos. Mesmo a pesquisa tendo identificado casos de enxaqueca em crianças a partir de 6 anos, as dores podem começar em qualquer idade; porém, segundo a pediatra, o diagnóstico antes dessa idade, principalmente nos bebês, torna-se mais difícil pelo paciente não ter condições de explicar especificamente o que sente e ser um sintoma subjetivo.
A médica recomenda que, quando a criança se queixar de dores com frequência, é fundamental que os pais acionem um profissional. “Se as dores são corriqueiras, a orientação é levar a criança ao pediatra para avaliação da gravidade da doença. Se os sintomas persistirem, é essencial que os pais procurem um neurologista, que pode detectar o grau desse problema e orientar sobre a melhor forma de tratamento”, alerta.
Além da ansiedade, outros fatores que podem contribuir para a doença são os jejuns prolongados, a falta de sono, hereditariedade, desidratação e o uso exagerado de aparelhos sonoros e eletrônicos, como o computador ou o videogame.

Fonte:http://www.clickguarulhos.com.br/

Share This: