Área de presídio pode servir de permuta em PPP

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse na segunda-feira, 20, que os terrenos que abrigam presídios em Guarulhos, próximo ao Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos, em Cumbica (Região Cumbica), poderão ser usados como “permuta” em uma Parceria Público Privada (PPP).

“Claro que tudo isso tem estudos, mas a rigor, o setor privado ficaria, o governo pode ficar junto também, e construiria em um local mais distante, não ali tão perto do aeroporto, novas unidades para manter o número de vagas”, explicou o governador.

A afirmação foi feita na segunda-feira durante entrega de nova unidade da Estação de Tratamento de água do Alto da Boa Vista, em São Paulo, que aumentou a captação do Sistema Guarapiranga em mil litros por segundo, ou seja, de 15m³ para 16m³.

Segundo Alckmin, na área que antigamente existiam os presídios será possível construir centros de exposição, hotéis e realizar feiras. A decisão ficaria a cargo da empresa responsável.

Apesar de confirmar que o Governo do Estado realiza uma minuta para levantar interessados na PPP dos presídios, Alckmin não confirmou quando deverá ocorrer o processo licitatório.

Anteriormente, o governador chegou a dizer que todas as penitenciárias ficariam na fazenda Albor, que se estende por Guarulhos, Itaquaquecetuba e Arujá. Para fazer a mudança, os presídios novos serão construídos e, assim que entrarem em operação, os antigos seriam demolidos.

À época, a previsão de investimento era de R$ 750 milhões com prazo de exploração previsto para 35 anos.  Próximo ao aeroporto existem dois presídios – José Parada Neto e Adriano Marrey –  e dois Centros de Detenção Provisórios (CDPs), localizados às margens da Rodovia Hélio Smidt.

Fonte: folhametro.com.br

Share This: