Avassalador no bloqueio, Brasil estreia com vitória sobre Japão no Grand Prix

Com Carol como destaque, paredão brasileiro faz diferença, segura Saoki e Nagaoka e ajuda a derrotar nipônicas por 3 sets a 1. Gabi, Garay, Dani e Juciely se destacam.

Com show de bloqueios, o Brasil estreou no Grand Prix de vôlei com uma vitória sobre o paciente time do Japão por 3 sets a 1 (21/25, 25/21, 25/17 e 27/25), em Bangcoc, capital da Tailândia.  Vinda do banco no fim do segundo set, Carol foi o destaque no fundamento, com cinco pontos dos 17 que a equipe conquistou, contra apenas seis das japonesas. A central anotou 13. As ponteiras Fernanda Garay e Gabi oscilaram, mas tiveram mais bons do que maus momentos e fecharam com 16 pontos cada. Juciely, com 14, também se apresentou bem. Atleta mais perigosa do lado asiático, Saoki incomodou no primeiro set, mas caiu vertiginosamente e terminou o jogo com nove pontos. A canhota Nagaoka anotou 15.

Durante as quatro parciais, a seleção oscilou bastante, especialmente no saque e nas viradas de bolas. Dois apagões, um no segundo e outro no quarto sets, deixaram o técnico José Roberto Guimarães com cara de poucos amigos. Mas a exibição do terceiro, com a relação bloqueio/defesa, mereceu aplausos do tricampeão olímpico ao fim de cada rali.

– É sempre duro quando jogamos contra o Japão. Elas sacaram muito bem neste jogo e controlaram o jogo no primeiro set. Mas no segundo e no terceiro sets, nós mudamos nossa postura, colocamos a cabeça no lugar e o nosso bloqueio no meio de rede funcionou muito bem. Obviamente, estou muito feliz com o resultado – comentou Zé Roberto.

Com o resultado, o Brasil soma três pontos e está na liderança do grupo A. Vencedora no jogo anterior, a Tailândia, dona da casa desta etapa, vem em segundo, com dois. A Sérvia está em terceiro, com um, e o Japão na lanterna, sem ponto algum.

O próximo compromisso será na madrugada deste sábado, quando irá enfrentar a Sérvia, às 4h (horário de Brasília). O SporTV transmite o encontro diante das europeias, derrotadas pelas anfitriãs na primeira rodada por 3 sets a 2.

Brasil vence o Japão (Foto: Divulgação/FIVB)

ESTREIA

O passe e as viradas de bolas foram os fundamentos mais complicados do Brasil no set de estreia no Grand Prix. Garay e Gabi sofreram com o tático sem peso das japonesas e ainda tinham dificuldades em vencer a montada defesa nipônica. Nem mesmo os cinco bloqueios do Brasil e os seis pontos de Joycinha foram suficientes para que o time de Zé Roberto ficasse à frente do placar após o quarto ponto. Ao contrário do Japão, o serviço brasileiro não incomodou. Resultado: seis pontos de Saori e cinco de Nagaoka (25/21).

O cenário do segundo set foi diferente. Se o passe brasileiro continuou com falhas, Dani Lins conseguiu trabalhar mais vezes com a bola nas mãos e acionar Juciely no meio de rede e as chutadas nas pontas com as ponteiras Garay e Gabi. O crescimento das atacantes criou problemas à defesa japonesa (19/14). Mas o Brasil se desconcentrou, viu o Japão achar seus dois primeiros bloqueios no jogo e empatar (20/20). A queda coletiva fez Zé Roberto pedir tempo e trocar Bárbara por Carol, substituição que deu certo logo de cara. Primeiro, a central fechou a porta para o ataque asiático. Depois, conseguiu um ace (25/21).

A tranquila vitória do Brasil no terceiro set passou pela apresentação de Carol. Mantida na equipe, a jogadora do Rio de Janeiro foi bastante acionada por Dani Lins e não decepcionou. Foram dois pontos em ataques e quatro em bloqueios (o dobro do Japão em todo o jogo), além das bolas em que encostou e permitiu o contra-ataque (14/9). Quando não era Carol, quem decidiu era Fernanda Garay, seja na força de seu ataque ou na percepção do bloqueio. Saori e Nagaoka sumiram da partida, anuladas pela bem postada defesa, que chegava em quase todas as bolas (25/17).

O quarto set foi de oscilações entre as duas seleções. Se o Japão se reencontrou na primeira metade com muita defesa e velocidade de contra-ataque, o Brasil caiu em todos os fundamentos (13/9). Após um ataque errado de Joycinha, Zé sacou a oposta e colocou Monique. O time cresceu no bloqueio e voltou a forçar o serviço. Uma passagem de Dani Lins parecia garantir a tranquila vitória (23/17). Parecia. As brasileiras sofreram apagão maior do que o do segundo set e viram as rivais empatarem, na sequência da levantadora Kotoh pelo saque (23/23). Precisou o melhor fundamento do time reaparecer na mão esquerda de Gabi para os três pontos virem na estreia. A ponteira deu números finais com o 17º bloqueio na partida.

ESCALAÇÕES

Brasil: Dani Lins, Fernanda Garay, Gabi, Joycinha, Juciely e Bárbara. Líbero: Camila Brait. Entraram: Macris, Monique, Natália e Carol. Técnico: José Roberto Guimarães.

Japão: Kotoh, Saori, Nagaoka, Shimamura, Otake e Ishii. Líbero: Zayasu. Entraram: Miyashita, Nabeya, Koga, Uchiseto e Yamaguchi. Líbero: Sato. Técnico: Masayoshi Manabe.

Fonte: G1.com

Share This: