Bebês com microcefalia devem receber estímulos e fazer reabilitação

Há dois meses, o Ministério da Saúde acompanha o aumento de casos de microcefalia no Brasil. Trata-se de uma malformação em que o bebê nasce com crânio menor do que o normal e que foi relacionada com o zika vírus.

No Bem Estar desta quarta-feira (23), a pediatra Ana Escobar e a geneticista Lavínia Faccini, presidente da Sociedade Brasileira de Genética Médica, explicaram o que se sabe sobre a origem da microcefalia e como é feita a reabilitação dos pacientes.

Os bebês que nascem com microcefalia precisam de um amparo dos serviços de saúde e devem receber estímulos e passarem por reabilitações para estimular as áreas do cérebro preservadas.

Os profissionais de saúde devem orientar os pais de crianças com microcefalia sobre quais exercícios e estímulos devem ser feitos com os bebês.

Até o momento, sabe-se que novos vírus – como o zika, que foi identificado pela primeira vez no Brasil em abril – podem se espalhar rapidamente em regiões urbanas por meio de mosquitos e outros insetos, gerando consequências imprevisíveis, como a microcefalia.

Sabe-se também que, para combater as doenças relacionadas a esse vírus, não é viável exterminá-los, mas sim controlar os mosquitos transmissores.

Outro fato sobre a atual situação do Brasil é que as notificações de malformações por vários motivos, não apenas aquelas relacionadas ao zika vírus, têm crescido por receberem mais atenção dos serviços de saúde.

Fonte:http://g1.globo.com/

 

Share This: