Câmara dará sequência ao processo de impeachment do prefeito Almeida

A sessão desta terça-feira, 19, na Câmara Municipal promete ser longa, pois está em discussão o processo de impeachment do prefeito Sebastião Almeida (PT) por improbidade administrativa, está tendo sequência após a Justiça conceder liminar que anula a decisão do presidente da Casa de Leis, Professor Jesus (DEM), de arquivar o pedido de cassação.

O vereador Laércio Sandes (DEM), que preside a sessão desta terça, determinou o desarquivamento do processo para discussão e formação da Comissão que irá analisar as denúncias contra o prefeito.

O petista José Luiz (PT) indagou Sandes se é possível desarquivar o rito de impeachment sem uma resposta da Casa de Leis à determinação judicial. Sandes respondeu que enquanto a liminar não for cassada, ele, que preside a sessão, não pode ser irresponsável de descumprir uma ordem judicial.

Sessão encerrada por falta de quórum

Após Jesus voltar a presidir a sessão desta terça-feira, 19, o edil informou que a Câmara Municipal impetrou recurso para reverter a liminar do juiz nesta terça-feira, 19.

Contudo, a sessão foi encerrada por falta de número de vereadores necessários para continuar com os trabalhos.

Vereador questiona documento apresentado ao MP para anular arquivamento do impeachment

Edmilson Souza (PT) questiona o documento do vereador Geraldo Celestino (PSDB) apresentado ao Ministério Público, que pedia anulação da decisão do professor Jesus em arquivar o pedido de impeachment do prefeito de Guarulhos. “Elaboração jurídica malfeita, mal-intencionada”, pontuou o edil em seu discurso na sessão desta terça.

Para Edmilson, o documento induziu o juiz José Roberto Leme, da 1a. Vara da Fazenda Pública no Fórum de Guarulhos, a pensar que a Comissão já estava formada e o rito já em andamento.

Fonte:http://www.clickguarulhos.com.br/

Share This: