Caminhar por 2 Minutos Pode Nos Livrar dos Danos de Ficar Sentado

Já foi comprovado que ficar sentado por longos períodos de tempo não é algo saudável, e muitas pessoas gostariam de saber o que fazer para aliviar os danos. Elas devem se levantar ou ficar em pé é insuficiente? Devem correr? Caminhar? Fazer polichinelos?

Um novo estudo chegou a algumas conclusões que oferecem uma perspectiva útil, sugerindo que até mesmo alguns minutos se movendo pode reduzir substancialmente os danos de ficar muito tempo sentado.

Como muitos já escutaram falar, muito tempo sentado pode aumentar o risco de diabetes, doenças cardíacas, obesidade, problemas renais e morte prematura. Estes riscos permanecem elevados mesmo se a pessoa se exercita, mas em seguida, passa a maior parte do tempo em uma cadeira.

Em um estudo representativo e preocupante que foi publicado na revista Diabetologia, os cientistas descobriram que a cada hora que pessoas adultas com sobrepeso passam assistindo televisão, o que é uma maneira prática de medir o tempo sentado em casa, aumenta o risco de se tornarem diabéticos em 3,4%.

A maioria dos participantes estava assistindo a quase três horas de televisão diariamente.

Mas apesar de tais preocupações com a saúde, simplesmente aconselhar as pessoas a abandonar suas cadeiras e ficar o dia todo em pé é impraticável.

Muitas que têm experimentado usar mesas mais altas para trabalharem de pé, descobriram que podem ter seus próprios impactos insalubres em relação a digitação, produtividade geral e coluna.

Recentemente, como parte do processo de coleta de dados, alguns participantes começaram usando monitores que objetivamente controlavam seus padrões de movimento. Os pesquisadores reuniram os dados do monitorados de 3.626 homens e mulheres, a maioria dos quais relataram no período inicial do estudo serem no geral saudáveis

Usando medições de atividade padrão, os pesquisadores então dividiram o dia de cada um dos participantes em minutos gastos sentado; participando de atividade de baixa intensidade (uma vez que os monitores não podiam registrar mudanças na postura, mas apenas em movimentos corporais, não era possível medir a posição por si); engajando-se em atividades de intensidade leve, como passear em torno de uma sala; ou fazendo atividade moderada ou intensa, tais como jogging.

A grande maioria dos participantes passou a maior parte do tempo de cada dia sentado.

O Resultado da pesquisa

Passados três ou quatro anos da pesquisa, os cientistas verificaram os registros de morte dos participantes que os dados foram levantados, para determinar quantos dos participantes haviam falecido durante esse tempo.

Eles usaram os números dos resultados para determinar estatisticamente o risco global de morte prematura dos participantes, e qual o papel que permanecer sentado ou não tinha nesse risco, bem como a importância relativa do que alguém fez em vez de ficar sentado.

Em outras palavras, os cientistas queriam ver se permanecer em pé, caminhar ou correr ao invés de estar sentado era melhor em relação ao tempo de vida.

O que eles descobriram foi algo inesperado. A atividade de baixa intensidade como permanecer em pé, por si só, teve pouco efeito sobre o risco de mortalidade.

Aquelas pessoas que durante o estudo passaram alguns minutos a cada hora envolvidas em tais atividades de baixa intensidade não demonstraram qualquer declínio no risco de morte, em comparação com aqueles que se sentaram a mais.

Mas aqueles que davam uma volta andando depois de passar algum tempo sentado, substituindo algum tempo que passavam sentado com uma atividade de leve intensidade como passear, ganharam um benefício substancial em termos do risco de mortalidade.

Na verdade, se eles substituíram tão pouco como dois minutos de “estar sentado” por a atividade física de hora em hora, eles baixaram o risco de morte prematura em cerca de 33%, em comparação com pessoas que passaram a maior parte do tempo sentado.

Caminhar por alguns minutos em vez de permanecer sentado diminui o risco de morte

Os pesquisadores descobriram uma redução adicional no risco de mortalidade se as pessoas se envolverem em exercícios moderados em vez de permanecerem sentados, embora o número de participantes da pesquisa que praticavam exercícios físicos intensos era muito pequeno, o que tornou difícil determinar números estatísticos em relação a atividades intensas.

Apesar de tudo, os resultados do estudo de acordo ao Dr. Srinivasan Beddhu, professor de medicina na Universidade de Utah, Estados Unidos, que e conduziu são “encorajadores”.

Se uma pessoa já está caminhando por dois minutos a cada hora e agora começa a andar mais dois minutos no tempo em que estaria sentado, poderia reduzir o seu risco de morte prematura ainda mais do que caminhar apenas dois minutos.

Essa redução no risco de morte está provavelmente relacionada com o balanço de energia, disse o Dr Beddhu.

Caminhar ao invés de ficar sentado aumenta o número de calorias queimadas, o que potencialmente contribui a perda de peso e outras mudanças metabólicas, o que afeta diretamente no risco de morte.

Mas como este estudo é observacional, disse o doutor, não prova que a caminhada reduza o risco de morte, mas apenas que ambos estão associados.

Ainda assim, os possíveis benefícios de caminhar com maior frequência ao redor do escritório parecem ser algo sedutor, especialmente se você convidar o seu chefe para acompanhá-lo, destacando a sua preocupação com seu bem-estar e saúde.

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite – (no G+)

Fonte: http://www.mundoboaforma.com.br/

Share This: