Casal Gates promete doar verba para pesquisas de vacina contra o zika

O casal de bilionários filantropos Bill e Melinda Gates anunciou nesta segunda-feira (22) que pretende doar mais verbas para pesquisas no combate ao vírus da zika.

A fundação gerida pelo casal, que ajudou a bancar as pesquisas com mosquitos transgênicos para combate ao Aedes aegypti, afirma que de investir também em pesquisas para a criação de diagnósticos e vacinas contra a doença.

“Nós nos envolvemos profundamente com o ebola, e já estamos nos envolvendo profundamente com o zika”, disse Melinda, durante entrevista concedida pelo casal — o cofundador da Microsoft e sua mulher. “Estamos tentando reunir os melhores cientistas e o que há de melhor, com os CDC [Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA] e a OMS [Organização Mundial da Saúde].”

A Fundação Bill e Melinda Gates é hoje a organização filantrópica mais rica do mundo, e costuma ajudar na pesquisa de doenças negligenciadas. Em 2014, a organização doou quase US$ 4 bilhões para pesquisa, e ainda tem US$ 43,5 bilhões em seus fundos, de acordo com o último balanço divulgado.

Segundo Bill Gates, o casal só não empenhou mais dinheiro contra o zika até agora porque a zika “pegou de surpresa”. A Fundação ainda não anunciou quanto pretende doar para o combate à doença.

“É outra tragédia, e novas tecnologias médicas podem ajudar, mas elas nunca surgem da noite para o dia, como gostaríamos”, disse ele. “O mundo, depois da tragédia do ebola, está se organizando muito mais rápido dessa vez, incluindo os cientistas.”

Segundo Gates, a melhor maneira de lidar com a crise é aniquilando mosquitos que transmitem a doença.

“Há algumas coisas em que a fundação investiu por muito tempo. Uma delas é como mudar os mosquitos para não carregarem vírus ou alterá-los para que suas populações se reduzam drasticamente”, afirmou. “São tecnologias nas quais estávamos trabalhando para nos livra da dengue e da malária.”

Um dos programas da Fundação Bill e Melinda Gates ajudou a bancar parte das pesquisas iniciais realizadas pela Oxitec, empresa que hoje faz testes com mosquitos transgênicos estéreis para reduzirem a população de Aedes aegypti no Brasil.

Fonte:http://g1.globo.com/

Share This: