Centauro das águas, Isaquias Queiroz conquista a prata no C1 1000m no Rio

Na mitologia grega, o centauro é uma figura com cabeça, braços e dorso de um ser humano e com corpo e pernas de cavalo. Nascido em Ubaitaba (BA), que em tupi-guarani significa “Cidade das Canoas”, Isaquias Queiroz atingiu o Olimpo como um verdadeiro centauro das águas. Em menos de quatro minutos, mais precisamente em 3m58s529, 1s603 atrás de Sebastian Brendel, da Alemanha, que ficou com a medalha de ouro, o brasileiro cruzou os 1000m da raia da Lagoa Rodrigo de Freitas para escrever seu nome no livro de ouro do esporte. A medalha de prata, primeira do Brasil na modalidade em uma Olimpíada, confirma o destino do canoísta. Nascido onde quem não rema não vive, Isaquias tornou-se, nesta terça-feira, imortal.

– É muito gratificante. É medalha de prata, mas para mim tem gosto de ouro. É uma batalha que venho trilhando há muitos anos. Vem mais por aí. Vamos esperar. Quero sair daqui com três medalhas no peito – disse Isaquias logo após a prova.

Após a conquista da prata, Isaquias ainda tem chance de conquistar mais duas medalhas na Olimpíada do Rio. O brasileiro disputará as provas do C1 200m, da qual é o atual bicampeão mundial, com eliminatórias já nesta quarta-feira, dia 17 e final na quinta-feira, dia 18, e do C2 1000m – esta em parceria com Erlon de Souza -, com eliminatória sexta-feira, dia 19, e final no sábado, dia 20.

– (Emoção) é muito grande. É muito bonito. Me sinto muito orgulhosa em vê-lo, quando eu o vi ali, falei: “Vá, meu filho, vá com sua sorte. Pra deixar a gente sossegado, vá com sua sorte” – disse Dona Dilma, mãe do agora vice-campeão olímpico.

A PROVA

Largando na raia quatro, ao lado de seu maior adversário, o alemão campeão olímpico e mundial Sebastian Brendel, Isaquias Queiroz sabia que sua força física e explosão musculares eram determinantes para abrir vantagem no primeiro minuto de disputa. O brasileiro conseguiu se manter no pelotão da frente nos primeiros 500m, ficando a apenas um metro de Brendel, que liderava a prova. Mesmo conseguindo ultrapassar Brendel em alguns momentos, o brasileiro não conseguiu manter o ritmo na parte final da disputa. A apenas 250m da linha de chegada, Isaquias e Brendel estavam empatados, mas o alemão acelerou nos metros finais, deixando o baiano e os demais competidores para trás e conquistando o bicampeonato olímpico.

Confira o resultado completo da final do C1 1000m:

Ouro – Sebastian Brendel (ALE) – 3m56s926
Prata – Isaquias Queiroz (BRA) – 3m58s529
Bronze – Serghei Tarnovski (MLD) – 4m00s852
Quarto lugar – Ilia Shtokalov (RUS) – 4m00s963
Quinto lugar – Pavlo Altukhov (UCR) – 4m01s587
Sexto lugar – Martin Fuksa (RTC) – 4m03s322
Sétimo lugar – Gerasim Kochnev (UZB) – 4m04s205
Oitavo lugar – Carlo Tacchini (ITA) – 4m15s368

Fonte:http://globoesporte.globo.com/

Share This: