Cientista da USP explica a descoberta de água salgada em Marte

Cientistas da Nasa, a Agência Espacial Americana, anunciaram a existência de água em Marte. A descoberta pode ser a chave para desvendar um dos maiores mistérios da humanidade: se há vida fora da Terra.

A revolução se baseia nestas manchas escuras. Riozinhos em uma região montanhosa que só correm no verão, quando a temperatura em Marte sobe para a casa dos 20ºC negativos, suficientes para congelar a água da Terra, mas não a de Marte, que é extremamente salgada e, por isso, continua líquida mesmo em temperaturas mais baixas.

Cientistas dizem que a descoberta é um avanço na tentativa de provar que existe vida em Marte,  um planeta visto pela ciência como um bom laboratório para descobertas futuras, porque fica a “apenas” seis meses de distância da Terra e com temperaturas suportáveis para os astronautas que um dia forem para lá.

“É uma coisa que surpreende bastante você descobrir que pode haver ou não vida em um novo planeta. É que vai abrir a mente de bastante gente. Sem dúvida”, diz Fábio de Oliveira, operador de ações.

Só que boa parte dos terráquios ainda tem muitas dúvidas sobre o assunto:

“Como a água pode ajudar a subsistência do homem em Marte?”, pergunta o estudante Boris Guedes.

“O que a descobreta da água nesse planeta vai ser útil para nós?”, questiona a vendedora Carla Altina.

ENTREVISTA COM CIENTISTA

Leia a íntegra da entrevista com o pesquisador em astrobiologia, o professor Amâncio Friaça, do IAG/USP.

Christiane Pelajo: Os cientistas descobriram água a partir de manchas escuras. Como que eles conseguiram descobrir isso?

Amâncio Friaça: Essas manchas escuras, elas apareciam no verão marciano. Uma sonda especial fez o levantamento de espectro e identificou sal hidratado. Então é sinal de que houve água líquida durante um período aí.

Christiane Pelajo: É a imagem mais próxima ainda da mancha escura? É onde eles puderam ver que tinha água salgada?

Amâncio Friaça: Isso. Ou pelo menos o sal hidratado. Tem mais ou menos uma largura de 5 metros, para você ter uma ideia.

Christiane Pelajo: O sal também é um indicativo de que pode haver vida? Porque a gente sabe que água é um indicativo de que pode haver vida. O sal também?

Amâncio Friaça: O sal faz com que a água fique líquida até temperaturas de -40ºC, -70ºC. Então você pode ter água mesmo em condições muito frias e, nas origens da vida, a água era água salgada. Então por isso pode ter algo análogo em outros planetas.

Christiane Pelajo: E essa água pode se tornar água potável, professor? Porque os cientistas dizem que no futuro, quem sabe, essa água pode ajudar equipes de astronautas que possam ir a Marte.

Amâncio Friaça: Água tem em abundância em Marte seja salgada seja na forma de gelo. Então já é uma fonte adicional de água.

Christiane Pelajo: Pode virar água potável?

Amâncio Friaça: Pode. Pode. Para os futuros habitantes de Marte.

Christiane Pelajo: O senhor acredita que o homem algum dia vai pisar neste planeta?

Amâncio Fraça: Daqui a algumas décadas a gente vai estar vivendo lá.

Christiane Pelajo: Sim? Daqui a algumas décadas?

Amâncio Friaça: É.

Christiane Pelajo: Bom, e bilhões de anos atrás a gente sabe que Marte era um planeta que tinha rios, que tinha lagos, que tinha picos nevados assim como a Terra. Depois virou o planeta deserto. O fato da água ter sido descoberta neste planeta significa alguma coisa? Por que houve essa transformação? A gente pode aprender alguma lição? A Terra pode aprender alguma lição com isso?

Amâncio Friaça: A água, ela é sempre uma condição para a existência da vida. Então significa que existe água disponível mesmo que esteja em pequena quantidade e, quem sabe, ainda hoje está algum ecossistema que esteja utilizando essa água em Marte.

Christiane Pelajo: Bom, a gente vai saber mais para frente, né professor?

Amâncio Friaça: Daqui a pouco.

Christiane Pelajo: Daqui a pouco?

Amâncio Friaça: Daqui a pouco em termos astronômicos. Daqui a dez, vinte anos.

Christiane Pelajo: Professor, muitíssimo obrigada pela sua presença aqui no Jornal da Globo. Boa noite!

Amâncio Friaça: Eu que agradeço, Chris!

Christiane Pelajo: Boa noite.

Por :Renato Biazzi / Christiane PelajoSão Paulo, SP

Fonte:  http://g1.globo.com/



							
												

Share This: