Cientistas criam nova forma do ouro que é quase tão leve quanto o ar

entistas da ETH Zurich desenvolveram uma nova forma do ouro que promete revolucionar a maneira como joias e relógios são construídos. A novidade tem peso mil vezes menor que a forma típica do elemento, no entanto é quase impossível diferenciar os dois formatos a olho nu — no entanto, a nova forma é leve o suficiente para sequer abalar a espuma gerada por uma máquina de café.

O time de pesquisadores liderado por Raffaele Mezzenga conseguiu criar uma pepita que é consistida principalmente por poros e que, sob pressão atmosférica, não conduz eletricidade. Isso acontece porque a estrutura atômica da invenção faz com que os átomos de ouro não se toquem em qualquer momento.

“O chamado aerogel é mil vezes mais leve que as ligas convencionais do ouro. É mais leve que a água e quase mais leve que o ar”, explica Raffaele em um pronunciamento oficial. A espuma é criada a partir do aquecimento de proteínas do leite que são quebradas em fibras de escala nanométrica — o material é misturado a uma solução salina com ouro até que os dois materiais se fundam e criem em uma substância fibrosa com consistência de gel.

“O chamado aerogel é mil vezes mais leve que as ligas convencionais do ouro. É mais leve que a água e quase mais leve que o ar”, explica Raffaele em um pronunciamento oficial. A espuma é criada a partir do aquecimento de proteínas do leite que são quebradas em fibras de escala nanométrica — o material é misturado a uma solução salina com ouro até que os dois materiais se fundam e criem em uma substância fibrosa com consistência de gel.

A cor da nova pepita pode ser alterada facilmente mediante a manipulação do tamanho das partículas de ouro utilizadas. “As propriedades óticas do ouro dependem muito do tamanho e da forma de suas partículas”, explica Gustav Nyström, um dos principais contribuintes do estudo. Segundo o time da ETH responsável pela descoberta, o novo material pode ser usado para desenvolver joias assim como para auxiliar na descoberta de novas soluções nos campos da física e da ótica.

Fonte: http://www.tecmundo.com.br/

Share This: