Comércio eletrônico brasileiro deve movimentar R$ 69,76 bilhões em 2016

Em meio a uma crise econômica que afeta diversos ramos de atividade, pelo menos um setor parece estar “imune”: o comércio eletrônico. Um relatório divulgado recentemente pela Conversion mostra que, somente em 2016, as vendas pela internet devem movimentar R$ 69,76 bilhões no Brasil — um aumento de 26,9% em relação ao ano anterior.

O estudo mostra que o segmento cresce em ritmo rápido, sendo que em maio deste ano a previsão é que ele movimente R$ 6,18 bilhões de reais (8,86% a mais do que abril). As perspectivas também são positivas para o futuro próximo, sendo que novembro deve ser o mês mais promissor — graças a ações como a “Black Friday”, o mês deve apresentar vendas 48,74% maiores do que outubro.

A tendência deve continuar nos próximos anos, graças à difusão cada vez maior da internet e à queda da resistência de muitos consumidores em comprar pela internet. “A previsão de crescimento em 2016, expectativa de movimentação de R$ 229 bilhões até 2021, aliadas a um alto ticket médio, demonstram confiança neste mercado”, afirma Diego Ivo, CEO da Conversion.

Concentração na região Sudeste

O relatório divulgado pela Conversion mostra que ainda há uma grande concentração do comércio eletrônico nacional na região Sudeste, que detém 72,1% das receitas do segmento (R$ 50,29 bilhões). Em comparação, o segundo colocado — a região Sul —, tem somente 11,3% de participação e deve movimentar aproximadamente R$ 7,88 bilhões em 2016.

Ao todo, o mercado online brasileiro deve registrar 220 milhões de pedidos neste ano, que vão ser pagos usando métodos como cartões de crédito e débito e boletos bancários. A taxa de conversão (a proporção entre visitas e números de pedidos) atualmente é de 1,04%, o que significa que, em média, um site realiza uma venda a cada 100 visitas recebidas.

A análise mostra que, a cada compra realizada, o brasileiro gasta uma média de R$ 316,23, valor que leva em consideração tanto compras de produtos individuais quanto transações envolvendo múltiplos itens. Ao todo, o comércio eletrônico nacional deve registrar 22 bilhões de visitas em 2016, sendo que os consumidores costumam dedicar 3 minutos e meio a cada página.

A maioria das visitas ocorre através de dispositivos mobile (55% de participação), sendo que os itens mais vendidos pertencem a áreas como viagens (15,03%), eletrodomésticos (14,02%), informática (11,9%) e cosméticos (10,2%). O relatório completo está disponível para download gratuito na página da Conversion, que só exige um breve registro gratuito antes de enviar os dados para o email cadastrado pelo usuário.

Fonte:http://www.tecmundo.com.br/

Share This: