Como respirar na corrida e melhorar o desempenho quando estiver treinando

O Eu Atleta esclarece a dúvida dos leitores sobre a maneira correta respirar. Afinal de contas, é melhor pela boca ou pelo nariz? Existe uma maneira correta? Pode melhorar o desempenho?

– Respirar corretamente na corrida é respirar da forma mais natural possível e não se preocupar em interferir na respiração – disse Turíbio de Barros, mestre e doutor em fisiologia do exercício.

Segundo ele, a função respiratória é regulada por um mecanismo muito preciso e de maneira involuntária. Isso significa que, durante o exercício físico, não precisamos pensar para respirar.

– A respiração é uma função autonômica, sem absoluta necessidade de controle voluntário. Ou seja, nós não conseguimos controlar a respiração de forma mais eficiente do que é ajustada involuntariamente. Em algumas modalidades específicas, como a natação, pode existir alguma necessidade de adequação da respiração com um aprendizado específico, mas são situações especiais – explicou Turibio.

Corrida na rua ou esteira? Confira as principais diferenças entre os treinos

Durante uma atividade física, a necessidade de captar oxigênio e eliminar gás carbônico aumenta na razão direta da intensidade do exercício. Quando a atividade é muito mais intensa, o nariz não consegue absorver a quantidade de ar necessária. Por isso, de maneira involuntária, passamos a inspirar também pela boca.

Essa regulação é automática. O mecanismo regulador ajusta a função respiratória e promove um aumento do fluxo de entrada e saída de ar pelas vias aéreas. Trata-se de um ajuste necessário para proporcionar uma adaptação à intensidade do exercício.

É iniciante na corrida? Confira as três dicas para evoluir e não se machucar

– Até uma certa intensidade, o ajuste da respiração ainda permite que possamos continuar a inspirar pelo nariz. Conforme a atividade fica mais intensa, a resistência à passagem do ar pelas fossas nasais começa a exigir dos músculos respiratórios um gasto de energia que torna a respiração pouco econômica. Neste momento, também de maneira involuntária, começamos a inspirar pela boca – afirmou o fisiologista.

Já o educador físico Gustavo Luz lembrou que a dificuldade em manter a respiração na corrida é comum para os iniciantes. Além de reforçar que a respiração é um reflexo e que o ritmo respiratório é consequência da intensidade do exercício, ele citou a importância de reduzir o ritmo caso esteja com dificuldade para respirar.

– Se você está esbaforido em um determinado treino e, por isso, não consegue terminá-lo, é provável que esteja treinando com intensidade demais. A solução é reduzir um pouco (ou muito) o ritmo do treino. Se diminuir a intensidade, a frequência cardíaca diminui e a frequência respiratória também. Assim, você pode achar mais facilidade para terminar os treinos sem que a respiração seja um problema – encerrou Gustavo.

Fonte:http://globoesporte.globo.com/

Share This: