Contas da Proguaru de 2008, gestão Pietá, foram rejeitadas pelo Tribunal de Contas

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE) julgou irregular as contas da Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos (Proguaru) referentes ao exercício de 2008, época em que Elói Pietá (PT) estava no comando da Prefeitura. O petista Carlos Derman, hoje vice de Almeida, era o presidente da empresa. Uma das alegações foi a realização de obras que seria de competência da Prefeitura, construção da EMEF Recreio São Jorge e da Creche Vila Alzira, sem a contratação por meio de licitação.

A sentença foi proferida pelo conselheiro Dimas Eduardo Ramalho, que apontou a “ausência de plano orçamentário e quadro demonstrativo de sua execução; resultado do exercício negativo em R$ 6.164 mil”.

Segundo Ramalho, a “impossibilidade de atestar a exatidão dos pagamentos efetuados aos membros da Diretoria e Conselhos, tendo em vista a não apresentação da ata de reunião que fixa a remuneração paga em 2008” também foi um dos motivos que levaram a rejeição.

Entre outras falhas, o laudo aponta a existência de cargos comissionados, não atentando-se a obrigatoriedade de concurso público. São alguns deles:  8 cargos de Assessor I, 4 de Assessor II, 5 cargos de Assessor III e 12 cargos de Assessor IV. 16 Encarregado I, 6 de Encarregado II, 28 de Encarregado III, 7 de Encarregado IV, 3 de Encarregado V, 5 de Encarregado VI, 4 de Encarregado VII, 2 de Encarregado VIII, 6 de Encarregado Zona Azul, 5 de Gerente e 67 cargos de Líder.

Foram aplicadas multas, no valor equivalente a 400 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (UFESP’s), a cada um dos responsáveis, sendo eles: Carlos Chnaiderman, Francisco Marques Evangelista e Artur Pereira Cunha

Fonte:https://www.clickguarulhos.com.br

Share This: