Dersa aumenta em 290% gasto com terraplenagem no Rodoanel

Mais uma denúncia de gasto excessivo nas obras do trecho Norte do Rodoanel. Desta vez, a Folha de S.Paulo publica que a empresa do governo Alckmin (PSDB) concordou em aumentar em 290% o custo de terraplenagem de um lote, executado pela OAS.

Segundo a reportagem, o relatório que resultou na elevação do custo não contou com a assinatura de um responsável técnico, como geólogo ou geotécnico. O argumento da empreiteira de que não havia sido prevista a existência de tantos matacões, que são grandes rochas, que dificultam o trabalho. Segundo a Dersa, o trâmite para a assinatura do aditivo foi regular.

Os aditivos que reajustaram a terraplanagem, firmados em setembro de 2015, são alvo de inquérito da Polícia Federal em São Paulo desde março, que apura se os matacões serviram de desculpa para um aumento indevido do preço. Só depois que o caso chegou à PF, a Dersa resolveu pedir um estudo ao IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas).

Segundo a Folha, o caso tem atraído atenção de investigadores da Lava Jato –a OAS é investigada por suposto envolvimento no petrolão e negocia delação no âmbito da operação.

O diretor de Engenharia da Dersa, Pedro da Silva, disse que não solicitou o parecer antes de assinar os aditivos porque não queria deixar a obra paralisada. A saída, afirmou, foi assinar o aditivo com “preço provisório” até que o estudo fique pronto.

À Corregedoria do Estado, que também apura o caso, testemunhas disseram que dois engenheiros da Dersa se recusaram a assinar os aditivos, segundo a reportagem da Folha apurou.

Silva afirmou que não houve irregularidades nos aditivos do Rodoanel Norte e que, mesmo com eles, a obra vai sair mais barata do que o governo previa inicialmente. Em 2012, a Dersa esperava licitar o trecho norte por R$ 5 bilhões, mas fechou o negócio por R$ 3,9 bilhões. “Nossa licitação ficou R$ 1 bilhão mais barata [do que previsto]. Ainda estamos muito aquém do valor que foi posto à licitação”, declarou.

Silva disse que não consultou o setor de Projeto da Dersa sobre o relatório da OAS porque o mérito da questão foi analisado pela divisão de Obras e pela diretoria chefiada por ele, o que já bastava.

A Folha informa que OAS não se manifestou.

Fonte:http://www.clickguarulhos.com.br/

Share This: