Em visita à Colômbia, Dilma se reúne com presidente e empresários

Filipe Matoso e Roniara CastilhosDo G1 e da TV Globo, em Brasília

A presidente Dilma Rousseff fará nesta sexta-feira (9) visita de Estado – a mais alta na diplomacia – à Colômbia e, em meio a uma série de compromissos em Bogotá, ela se reunirá com o presidente Juan Manuel Santos e participará de seminário organizado por empresários brasileiros e colombianos.

A agenda na cidade estava prevista inicialmente para a última segunda (5), mas Dilma decidiuadiar a viagem para dar posse, em Brasília, aos dez novos ministros do governo, assistir ao julgamento das contas de 2014 pelo Tribunal de Contas da União (TCU) – que foram rejeitadas – e acompanhar a análise pelo Congresso Nacional dos vetos aos itens da “pauta-bomba”. As sessões no Congresso não ocorreram por falta de quórum.

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, o objetivo do encontro entre Dilma e Manuel Santos é acelerar um acordo econômico que quer zerar as taxas de importação colombianas a produtos brasileiros. Ainda segundo o Itamaraty, Brasil e Colômbia buscam ampliar o fluxo comercial, que chegou a US$ 4,1 bilhões no ano passado.

“Os presidentes examinarão temas das agendas bilateral e regional, bem como avaliarão formas de incrementar e diversificar o intercâmbio comercial entre os dois países. Presidirão também cerimônia de assinatura de acordos em diversas áreas, como facilitação de investimentos, comércio automotivo, agricultura e segurança alimentar, educação e pesquisa científica”, informou o Ministério das Relações Exteriores.

Entre os compromissos que a presidente terá na Colômbia, estão a participação no Seminário Empresarial Bilateral, sessão solene no Judiciário, reunião com os presidentes das Casas Legislativas e encontro com o presidente Juan Manuel Santos.

Acordo comercial
O Acordo de Complementação Econômica 59, que trata da taxa zero para importações, foi firmado em 2005 entre os países do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela), Colômbia e Equador. O acordo comercial prevê a redução a zero, de forma escalonada, das tarifas de importação de um lista de produtos comercializados entre os países que assinaram o documento.

De acordo com o Itamaraty, o acordo de redução de alíquotas cobre 80% dos produtos brasileiros que são exportados para a Colômbia. A maior parte dessas mercadorias é de itens industrializados, como automóveis, chassis de veículos, pneus para ônibus e caminhões, semimanufaturados de ferro e aço e, também, produtos químicos.

Fonte:  http://g1.globo.com/

Share This: