Entrevista com Alberto Saraiva, o Sr. Habib’s

Por sugestão de nossa funcionária Viviane Sanson, que está lendo o livro “25 Verbos para Construir sua Vida”, do fundador da rede Habib´s, Alberto Saraiva, fizemos contato com sua assessoria para entrevistá-lo, porque no livro ele conta que teve uma pastelaria na praça Tereza Cristina, no Centro de Guarulhos. Sendo uma edição gastronômica, tem tudo a ver.

 

A entrevista foi marcada para após a palestra que proferiu no evento Conarec – Congresso Nacional da Relações Empresa-Cliente. Tive a oportunidade de ouvi-lo falar sobre desafios que têm sido superados por ele e sua empresa, com criatividade. Mostrou filmes de anúncios de lançamento de produtos e promoções, para ensinar que o bom humor conquista as pe
ssoas e bons resultados.

A história do médico Alberto Saraiva é marcada por superações de desafios. Foi trazido para o Brasil, logo após nascer em Portugal. Passou a infância no interior do Paraná, vindo para São Paulo aos 17 anos, para realizar o sonho de cursar medicina.

Quando acabara de completar 20 anos, em 1973, seu pai foi assassinado na padaria que há pouco adquirira. Essa fatalidade fez com que ele, filho mais velho, assumisse o negócio.
Não bastasse a dor da perda do pai, a quem adorava, havia a dívida da compra a ser paga; o preço do pão, tabelado, não dava lucro; ele teve a feliz ideia de baixar o preço do pãozinho para vender mais e foi um sucesso; o movimento cresceu e em pouco tempo ele vendeu a padaria.

Depois, veio a Casa do Pastel, a Casa do Nhoque, a da Pizza Rodízio e, pelo acaso de conhecer um cozinheiro árabe, o surgimento da rede Habib´s, tendo sempre por princípio a mesma estratégia do baixo preço, êxito que se repete nos restaurantes Ragazzo e na Picanha Grill Churrascaria. “Não exerço a medicina, não curo as pessoas, mas as faço felizes”, resume.


Há publicações que mencionam a padaria no Brás, outros, Belenzinho. Qual o correto?

Rua Visconde de Parnaíba com Siqueira Bueno, Belenzinho.

Por que escolheu Guarulhos para instalar a Casa do Pastel?

Na padaria que assumi quando meu pai faleceu, tinha um balconista, o Joaquinzinho, que fazia um pastel maravilhoso, vendíamos muito. Quando vendi a padaria, queria montar uma casa que vendesse pastel, com a mesma filosofia do preço baixo. Um amigo morava em Guarulhos; indo à casa dele, vi uma placa de aluga-se na praça Tereza Cristina, pois o local reunia todas as condições que eu queria: muita gente passando, pontos de ônibus perto, escolas, comércio. Resolvi instalar lá a Casa do Pastel. Com o preço de um cafezinho, dava para comprar três pastéis; tinha fila direto. Guarulhos me deu muita sorte; ganhei lá meu primeiro dinheirinho.

E por que preferiu vender, em vez de criar a rede da Casa do Pastel?

Eu estava cursando medicina, meu sonho era ser médico. Para isso, é melhor montar os negócios e depois vender. Foi assim com a Casa do Nhoque, a Casa da Pizza Rodízio, vários negócios que eu montava e vendia, para concluir a faculdade. Quando me formei, foi que conheci um cozinheiro árabe, aprendi as receitas árabes e não exerci a medicina. Em 1981, iniciei a rede Habib´s.

Como se consegue manter preço baixo com qualidade?

No volume. Atraindo muitas pessoas, elas acabam consumindo outras coisas, sucos, chope, sobremesas, o que amplia a rentabilidade.

Quantas esfihas a rede já vendeu?

Seiscentos milhões de esfihas.

Guarulhos já comporta mais lojas de suas redes. Pretende abrir mais?

A ideia é montar mais dois Ragazzo e mais dois Habib´s. Depende de aparecer bons pontos comerciais: precisa ser de esquina, ter espaço para drive-thru, estacionamento e o aluguel tem de ser coerente.

O que é a Universidade Habib´s?

O Habibs tem 22 mil funcionários. Com essa multidão, é preciso manter treinamento constante, reciclagem, lançamento de produtos, inovações. Temos lá supervisores, pessoal experiente. A todo tempo, estamos investindo no pessoal para a qualidade no atendimento dos 200 milhões de clientes que passam por nossas lojas.

O Ragazzo segue a mesma lógica do preço baixo. Como vai a rede e a loja de Guarulhos?

Vamos crescer 50 lojas por ano. Entre as 50 lojas atuais, a de Guarulhos já está entre as 5 melhores da rede.

Como é o faturamento das lojas do Ragazzo, em relação às do Habib´s?

Na média, faturam 20% mais do que as do Habib´s.

Sendo português, não cogitou criar uma rede de comida lusitana?

Os itens em que dá para praticar essa filosofia de vender muito com baixo preço nós já vendemos no Habib´s, como o bolinho de bacalhau e o pastel de Belém. Quem sabe um dia a gente lança uma rede só de comida portuguesa. Vamos pensar nisso.

Por que passou a fazer palestras contando sua experiência?

Eu já fazia palestras, mas as atuais têm relação com o livro “25 verbos para construir sua vida”. Fazia para amigos, empresas que doam os cachês para entidades carentes. É uma forma de mostrar a rede, de ajudar as pessoas que me ouvem, ficam sabendo dos caminhos que eu indico, incentivando-as a acreditar no próprio potencial e, ao mesmo tempo ajudar as entidades.

O livro também tem finalidade social, filantrópica?

Totalmente: no conteúdo, para ser útil a quem lê-lo. E o que eu haveria de receber pela venda do livro é direcionado ao Projeto Ciranda, que mantemos na vila Andrade, Paraisópolis e que já beneficia milhares de crianças.


O que o leva a fazer isso?

Porque entendo que devo agradecer por tudo que conquistei. Não quero o dinheiro dos livros, porque não preciso de dinheiro. Tenho tudo o que preciso. Faço as palestras para juntar as pessoas, junto as pessoas para que comprem livros; quero que comprem livros para ajudar as crianças.

Como consegue conciliar tantas tarefas?

O desejo de vencer, de conquistar. É a sina das pessoas que iniciam do nada e crescem aos trancos e barrancos, com o desejo de vencer na vida. As pessoas que têm esse ideal, de crescer, de gerar empregos, acabam aprendendo a tornar tudo possível.

E quanto à gestão da empresa? Sua dedicação a esses outros afazeres não faz falta?

A empresa está profissionalizada, tenho pessoas de confiança nas principais funções; meu primo, que está comigo há 23 anos, é o CEO do grupo; tenho dois filhos já engajados na administração da empresa, então está tudo sob controle, mas eu ainda trabalho bastante nelas, às vezes até 20 horas por dia. Quando se faz o que se gosta, trabalho é prazer.

Fonte:https://www.clickguarulhos.com.br

Share This: