Espalha Fatos

Chegou a denúncia de que alguns funcionários da Secretaria Municipal de Saúde estariam supostamente levando para casa vacinas contra a gripe H1N1 com o intuito de serem aplicadas em parentes, amigos e até vendidas num mercado clandestino existente nas redes sociais. Não causará estranheza se porventura as crianças e idosos que têm prioridade ficarem sem o medicamento durante a campanha de vacinação em Guarulhos. A porteira está aberta e ninguém fiscaliza.

No escuro

Dos 55 mil pontos de iluminação pública existentes na cidade estima-se que a empresa EDP Bandeirante deveria ter resolvido o problema de pelo menos 14 mil antes do término do seu contrato com a Prefeitura. Questionado, o Executivo confirmou o conserto de somente 8 mil. Os outros 6 mil continuam apresentando defeito, principalmente com lâmpadas queimadas. Se tudo foi pago para a empresa de energia como afirmam os gestores municipais, por que ninguém cobra pelo término do serviço? Parece que aqui não há luz no fim do túnel.

Aviso

O vereador Romildo Santos (DEM) deixou claro na última sessão, que a pauta da Câmara continuará travada enquanto o Executivo não contemplar os parlamentares com as emendas particulares prometidas e consignadas em lei. O veto do prefeito foi derrubado, portanto os vereadores têm direito a indicar benfeitorias em suas regiões de acordo com a legislação. A obstrução dos trabalhos deverá ocorrer nas sessões de hoje também, já que Almeida finge que o problema não é dele.

Desabafo

O ex-secretário de Segurança Pública, João Dárcio Filho, que assumiu dias atrás uma cadeira na Câmara Municipal, não está perdendo tempo e já começou a disparar contra o Executivo. Segundo ele, só pelo fato de não ser petista, durante sua gestão na pasta foi atrapalhado por várias pessoas, que por picuinha, não o deixaram executar seu trabalho como deveria. O alvo do ataque foi o secretário de Governo Benê Silva, que foi acusado de engavetar a proposta de realização de um concurso público na GCM para aumento do efetivo.

Sem pressa

O vereador Dr. Laércio Sandes (DEM) afirma que não aceitará nenhum tipo de pressão para votar no afogadilho o projeto de lei da Prefeitura que beneficia os procuradores. Segundo ele, o Executivo tem mania de atropelar a Câmara para que temas polêmicos sejam aprovados sem a mínima discussão. Apesar da provável deliberação dessa proposta na extraordinária de hoje, o PL deverá ser encaminhado às Comissões Técnicas da Casa para análise e posterior votação só depois do feriado. O clima entre a maioria dos parlamentares é de reprovação.

Fonte:http://www.clickguarulhos.com.br/

Share This: