Feira em condomínio veio para ficar

om a mudança nas relações de consumo e familiar, onde a figura da dona de casa responsável apenas pelos cuidados com os seus fica cada vez mais distante da realidade, o abastecimento da cozinha é feito hoje nas horas de folga do casal, geralmente no período noturno. A feira livre tradicional acontece normalmente pela manhã e muitos consumidores migraram para alternativas de compras. Neste contexto é que a experiência de feira noturna em condomínio ganha um destaque especial.

“Fizemos um projeto piloto bem-sucedido com os condomínios Suprema e Supera, na vila Augusta, e agora estamos ampliando a prestação do serviço para outros condomínios da cidade. Já implantamos feiras nos condomínios Ilhas do Mediterrâneo, Bem Viver e Residencial Concorde e nos próximos dias vamos levar a feira para mais dois”, afirma o presidente do Sindicato dos Feirantes de Guarulhos, Valdir Kuniyoshi.

Para implantação da feira, o Sindicato e o síndico discutem os critérios, as regras e o planejamento. A feira tem uma fase experimental de 60 dias, período em que os feirantes realizam as adaptações necessárias e os condôminos avaliam o serviço prestado, após o que a feira é submetida à plenária dos condôminos para aprovação. Aceita pelos moradores, o Sindicato firma parceria com o condomínio, que cede o espaço sem ônus e em contrapartida recebe o serviço com a garantia da qualidade e dos preços praticados na feira de rua. A experiência tem se mostrado positiva e o Sindicato já tem um cadastro de feirantes para atender os condomínios.

Pesquisa de satisfação

O Sindicato tem um Regulamento que disciplina as feiras em condomínios e periodicamente são realizadas Pesquisas de Satisfação em relação a quatros itens: qualidade dos produtos; preços praticados; apresentação das barracas e atendimento. De posse desses dados, os feirantes buscam interagir com os moradores para aperfeiçoar a oferta do serviço.
“Procurei o Sindicato para garantir a qualidade e os preços da feira livre e também porque se algo sair errado, tenho de quem cobrar”, disse Rodrigo Freitas, então síndico do Suprema. Já o presidente do Sindicato, Valdir Kuniyoshi, disse que, além de abrir mais um espaço para os feirantes, as feiras dentro dos condomínios trazem vantagens para o consumidor como a facilidade de acesso e o controle da qualidade do serviço na interação com feirantes, síndico e Sindicato.
A aceitação por parte dos moradores tem sido muito boa, com avaliação positiva da qualidade dos produtos oferecidos, dos preços e da apresentação das barracas. Com estes resultados, os feirantes estão motivados a aperfeiçoar e ampliar a oferta do serviço aos condomínios de Guarulhos.

Outros condomínios

Além dos condomínios onde o Sindicato implantou a feira, outros vêm fazendo experiência no mesmo sentido. O Vale dos Pássaros, no Jardim Testai, é um deles. As feiras são montadas nas noites das quintas, das 18h às 21h. Nas primeiras semanas, era organizada por uma empresa do ramo. Devido a queixas de consumidores, a Administração preferiu substituí-la. Há três semanas, está a cargo da empresa Seleta.
Em geral, os moradores gostaram da iniciativa. Pelas redes sociais, trocam impressões sobre a ideia. “A lei da oferta e da procura é soberana. Se os feirantes tiverem bom senso na escolha dos produtos e nos preços que praticarem, as pessoas irão prestigiar. É lógico que tem de se levar em conta a comodidade, mas os preços precisam ser compatíveis”, comenta o síndico, Carlos Barreto.

Condomínios com feiras pelo Sindicato
Bem Viver, 920 unidades;
Supera, 720 unidades;
Ilhas do Mediterrâneo, 304 unidades;
Residencial Concorde, 228 unidades.

Fonte:http://www.clickguarulhos.com.br/

Share This: