Foto mostra cerveja e celular em cela que seria do ex-policial Bola

Uma foto que circula pela internet mostra a suposta participação do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, no que seria um churrasco dentro de uma cela. Ele foi condenado a 22 anos de prisão pela morte e ocultação do cadáver de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes. Ao tomar conhecimento das imagens, a Polícia Civil informou que abriu uma investigação para apurar a veracidade das fotos.

Em uma mesa, há latas de cerveja, um celular e copos de vidro, itens com entrada proibida em uma unidade prisional. Na foto, Bola está em pé, encostado na grade da cela. Um pacote de carne estaria em outra mesa ao fundo.

A Polícia Civil informou que a imagem será periciada e, se confirmada a veracidade dela, serão tomadas medidas administrativas para apurar a conduta de agentes penitenciários e outros servidores.

Caso haja envolvimento de funcionários, que já foram convocados para depoimento, a investigação será encaminhada à Corregedoria. Contudo, não existe um prazo determinado para a perícia. A polícia informou também que analisa a possibilidade de agravar a pena dos presos.

O ex-policial cumpre pena na Casa de Custódia da Polícia Civil, no bairro Horto, na Região Leste de Belo Horizonte, em regime fechado.

Caso Eliza
Eliza desapareceu em 2010 e seu corpo nunca foi achado. Ela tinha 25 anos e era mãe do filho recém-nascido do goleiro Bruno, de quem foi amante. Na época, o jogador era titular do Flamengo e não reconhecia a paternidade.

Em março de 2013, Bruno foi considerado culpado pelo homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado da jovem. Ele foi condenado a 22 anos e três meses de prisão pela morte e ocultação do cadáver da ex-amante, além do sequestro do filho da jovem.

A ex-mulher do atleta, Dayanne Rodrigues, foi julgada na mesma ocasião, mas foi inocentada pelo conselho de sentença. Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, amigo de Bruno, e Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do atleta, já haviam sido condenados em novembro de 2012.

O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos foi condenado a 22 anos de prisão. O último júri do caso foi realizado em agosto de 2013 e condendenou Elenilson da Silva e Wemerson Marques – o Coxinha – por sequestro e cárcere privado do filho da ex-amante do goleiro. Elenilson foi condenado a 3 anos em regime aberto e Wemerson a dois anos e meio também em regime aberto.

Fonte:http://g1.globo.com/

Share This: