Ginásio da Ponte Grande resiste à decadência do esporte e completa 40 anos

Abandono - Hoje, Estádio é tremenda saudade da população (Foto: Lucas Dantas)

Único ginásio público em funcionamento na cidade, o Estádio Arnaldo José Celeste, mais conhecido como Ponte Grande, “respira por aparelhos”, mas consegue resistir ao declínio do esporte em Guarulhos e na próxima quarta-feira, 8, completa 40 anos de vida.

Ao contrário dos outros locais da Prefeitura, a Ponte Grande ainda recebe no ginásio, jogos oficiais e amadores de futsal, handebol e vôlei. Na pista de atletismo há escolinha para jovens e adultos. Aos finais de semana há treinos e partidas de futebol americano, além do campo de futebol, utilizado pelos times da região e pista de skate, pelos adolescentes.

Todas as modalidades esportivas que a cidade ainda têm, estão concentradas na Ponte Grande. O Complexo Esportivo João do Pulo, no Bela Vista (Região Taboão), está fechado desde 2013. O Poliesportivo Paschoal Thomeo, Thomeozão, no Bom Clima (Região Centro), está interditado, pois não possui laudo do Corpo de Bombeiros e o Fioravante Iervolino (Região Centro) foi doado a um motoclube.

Ex-atleta, frequentador e hoje, vigia

Morador da Ponte Grande desde o primeiro ano de vida, frequentador e hoje, vigia noturno do ginásio, João Canobre lamenta o abandono do local. Para ele, o governo não dá a atenção devida ao equipamento. Além da falta de manutenção e iluminação, há muros pichados, quadras externas esburacadas e sempre é alvo de vandalismo.

“O gramado está conservado porque é utilizado pelo pessoal do Rugby. Fora isso, mais nada. Poucos eventos acontecem. Acho que perto das possibilidades desse espaço, isso aqui está abandonado, tanto que não tem funcionário agora”, disse, enquanto conversava com a reportagem e apontava para o os espaços vazios.

Mas lembra da importância do Estádio. “Por um período de muitos anos foi referência na cidade. Durante os anos 70 e 80 esse estádio foi muito movimentado. Depois veio o João do Pulo, Thomeozão e esse foi ficando para trás. Mas ainda é muito importante porque na Ponte Grande não tem outros espaços públicos de lazer”, declarou Canobre, que participou de duas Olimpíadas Colegiais, em 1976 e 77, competindo atletismo pelo Colégio Dom Paulo, ali mesmo, na pista da Ponte Grande.

Procurada, a Secretaria de Esportes afirmou que a última reforma no ginásio foi em 2009 e não há nenhuma atividade prevista para comemoração de 40 anos do local.

História de professora se confunde com Estádio

O Estádio da Ponte Grande já foi palco de atletas como João do Pulo, recordista mundial de salto triplo e Conceição Geremias, medalhista Pan-Americana. Outra pessoa que fez história no local é Irani Ferreira dos Santos, que começou a praticar atletismo na Ponte Grande no dia 30 de julho de 1975 e até hoje trabalha no local, como treinadora. Ela já foi campeã Sul-americana de lançamento de dardo.

“Esse Estádio é muito importante para o esporte guarulhense, já revelou e ainda revela muitos talentos. Trazemos para cá adolescentes e damos oportunidades para ele, não só como um atleta, mas como pessoa também. O tiramos da rua, da ociosidade. Aqui ele vem atrás de oportunidades”, disse.

Junto com os professores Neilton Moura, Anísio Souza, Katsuhico Nakaya, Anise e Joelma, Irani treina uma equipe com cerca de 100 atletas.

Além dos treinadores, que também já foram atletas, Irani citou como personagens importantes da Ponte Grande, como Wilson David e Zequinha Barboza, atletas olímpicos, e Marli dos Santos, dona da terceira melhor marca brasileira no lançamento de dardo.

 

 

Fonte: Secretaria do esporte.

Share This: