Hulk critica ‘halo’, e Ricciardo rebate: “Não há necessidade de bancar herói”

Desde que a proteção “halo” saiu do papel e foi para a Ferrari de Kimi Raikkonen durante os testes de pré-temporada em Barcelona, na Espanha, uma enorme discussão teve início. É senso comum que a novidade deixou os carros “diferentes”. Por outro lado, a maior parte dos pilotos e do público entende que, mais que estética, a medida visa maior proteção aos pilotos, evitando acidentes fatais como o de Justin Wilson (da Indy) e Henry Surtees (Fórmula 2). Ainda assim tem quem discorde veementemente da implantação do sistema e da necessidade de maior proteção: é o caso do alemão Nico Hulkenberg, da Force India.

– Eu acho que manda uma mensagem errada. A F1 já é segura o bastante. É muito feio. Eu não gosto e é o tipo de coisa que que não gostaria de ver na F1. Você não pode simplesmente esterilizar o esporte. É necessário que se tenha um elemento de perigo. Acho que isso torna o esporte sexy e atraente, e é isso que a Fórmula 1 precisa. Pessoalmente, eu não gosto do aspecto e parece que querem eliminar cada elemento mínimo de perigo  – criticou.

Daniel Ricciardo, da RBR, também foi questionado sobre seu ponto de vista em relação ao ‘halo’. E ao saber das declarações do rival da Force India, não poupou críticas a Hulk pelo seu posicionamento. Além de alfinetar o rival, o australiano deixou claro que a estética não está em jogo, mas uma proteção extra em caso de objetos “voadores”.

– Eu ouvi dizer que o Hulkenberg falou algumas coisas. Eu discordo porque acho que não há necessidade de bancar o herói nesta situação. Não entendo porque ele está inflando o peito em uma situação como esta. Não faz sentido. O importante não é gostarmos ou não. O importante é saber se conseguiremos usar e se é seguro. Pelo que pude observar parece tranquilo. Para mim foi pior quando os carros passaram por mudanças entre 2008 e 2009 porque eles eram feios. Não acho que a questão do “halo” seja tão dramática quanto àquela época. A proteção não mudará o esporte ou a velocidade dos carros, mas se houver objetos voando será uma proteção extras para nós – analisou.

Se a maioria dos pilotos e fãs gostarão, se tornará o esporte mais seguro, se sequer será implantando… são perguntas ainda sem resposta, mas uma coisa é certa: até a temporada 2017 muito se falará do ‘halo’, sua estética e benefícios.

Fonte:http://globoesporte.globo.com/

Share This: