Inimigos da saúde vocal

Dentro do processo de comunicação, a linguagem oral tem grande importância. Por meio da fala, dicção, vocabulário e expressão corporal, é possível trocar informações, expressar sentimentos, dividir conhecimento, dialogar, entreter, aconselhar e até persuadir. Mas você sabia que alguns hábitos corriqueiros podem colocar em risco a saúde vocal?
De acordo com Elaine C. Mello Lavecchia, fonoaudióloga da Freixo Clínica, em Guarulhos, são grandes inimigos: o tabagismo, uso de bebidas alcoólicas, mudanças bruscas de temperatura e alimentos pesados e condimentados, principalmente quando acompanhados de azia, má digestão e refluxo gastroesofágico.
Já para Amal Mourad, também fonoaudióloga da empresa, ter uma voz limpa, clara, emitida sem esforço e agradável ao ouvinte é sinônimo de que está tudo em dia, o que está relacionado diretamente com a saúde como um todo, já que qualquer problema no corpo pode influenciar na vocalização, como uma alteração hormonal ou psicológica.

Segundo as profissionais, para manter as pregas vocais saudáveis devem ser evitados ambientes ruidosos, que ocasionam competição sonora, falar durante atividades físicas, papear excessivamente durante quadros gripais ou crises alérgicas, pigarrear ou “coçar” a garganta e abusar de ambientes com ar condicionado, que resseca todo o aparelho fonador e exige um maior esforço da região.

Alimentação diferenciada

Alimentos gordurosos e muito condimentados, cafeína e derivados do leite atrapalham, pois podem aumentar a viscosidade e desidratar as cordas vocais, além de agravar a acidez no estômago, o que causa o refluxo. Já outros são altamente indicados pelo seu efeito adstringente, como a maçã, que limpa todo o aparelho fonador, auxiliando na articulação e na projeção da voz pelo benefício da mastigação.

Vale lembrar que a ingestão de 2 litros diários de água, que traz inúmeros benefícios para o corpo como um todo, também faz muito bem. A única dica é evitar ingerir o líquido muito gelado, caso a garganta já esteja irritada ou seja mais sensível.

Instrumento de trabalho

Para quem trabalha com a vocalização, como radialistas, professores ou cantores, os cuidados devem ser redobrados. “O ideal é usar técnicas especificas para a higienização vocal, que são exercícios para aquecer e desaquecer, e ter um tempo de repouso. Além disso, é essencial beber muita água, manter a postura do corpo ereta e relaxada enquanto estiver falando, principalmente a cabeça, usar roupas confortáveis que não apertem a garganta, abdômen, peito e a cintura, evitar tossir ou pigarrear excessivamente, prática que pode ferir as pregas vocais, e, se possível, utilizar aparelhos que amplifiquem a voz, como o uso de microfone por instrutores de academia, por exemplo”, pontua Amal Mourad.

Para o mundo ouvir

Falar alto demais ou gritar também é prejudicial, isso porque força as cordas vocais de forma excessiva, chegando até a lesionar a região. “Diante de um quadro de rouquidão, o ideal é aumentar a hidratação, não conversar em exagero e, principalmente, evitar soluções caseiras e automedicação”, indica Amal.

Elaine C. Mello Lavecchia ainda ressalta que pastilhas e sprays devem ser evitados, pois seu efeito anestésico pode mascarar o mau uso da voz e até algum problema mais grave. “A prevenção é de extrema importância para que tenhamos uma saúde vocal em dia, ficar rouco por mais de 15 dias não é normal e precisa da avaliação de um otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo, já que pode ser desde um simples quadro de disfonia [mudança, enfraquecimento ou dificuldade de fonação] até uma alteração mais grave, como um câncer na laringe”, finaliza ela.

Fonte:http://www.clickguarulhos.com.br/

Share This: