Lula pede ao STF acesso à delação de ex-deputado Pedro Corrêa

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira (30) acesso ao conteúdo da delação premiada do ex-deputado Pedro Corrêa na Operação Lava Jato. Aos investigadores, ele disse que o petista articulava o esquema de corrupção na Petrobras. O acordo de colaboração ainda não foi homologado pela Justiça.

No pedido, a defesa de Lula critica os vazamentos de delações e afirma que “se tornou praxe” o fato que de “alguns setores da imprensa que há décadas destilam ódio e perseguem o ex-presidente” obterem acesso a documentos sigilosos.

“Trata-se de mais um dos inúmeros vazamentos ilegais que têm revelado a dificuldade de alguns agentes do Estado de cumprirem a lei”, diz a peça.

Os advogados argumentam que precisam da delação para assegurar o direito de ampla defesa do ex-presidente.

“Há necessidade de impedir-se a cristalização do factoide e da versão construída pelo mau jornalismo com a colaboração de alguns agentes do Estado que se utilizam da violação do segredo profissional para expor a reputação e a imagem de pessoas por motivações diversas”, completa o pedido.

O ex-deputado e ex-presidente do Partido Progressista (PP) disse que Lula interferiu diretamente na nomeação de Paulo Roberto Costa para a diretoria de Abastecimento por indicação do partido.

Condenado também no escândalo do mensalão do PT, ele confessou que usou a politica para negociar propina por mais de três decadas e admitiu ter desviado dinheiro de quase 20 orgãos do governo.

Em nota divulgada na semana passada, o Instituto Lula afirmou que Pedro Corrêa já foi condenado pela Justiça e que “foi para não cumprir essa pena na cadeia que ele aceitou negociar com o Ministério Público Federal uma narrativa falsa envolvendo o ex-Presidente Lula, inventando até mesmo diálogos que teriam ocorrido há 12 anos”.

“É repugnante que policiais e promotores transcrevam essa farsa em documento oficial, num formato claramente direcionado a enxovalhar a honra do ex-presidente Lula e de um dos mais respeitáveis políticos brasileiros, o falecido senador José Eduardo Dutra, que não pode se defender dessa calúnia”, diz o instituto em nota.

Fonte:http://g1.globo.com/

Share This: