Ministério das Cidades entrega primeira casa para família de criança com Microcefalia

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, entregou a primeira unidade habitacional para família que tem criança nascida com microcefalia, nessa sexta-feira (29), em Petrolina. A cerimônia do programa Minha Casa, Minha Vida, aconteceu em clima de emoção e alegria.

“Essa emoção não é só da população, todos nós estamos emocionados. Vocês estão recebendo uma casa que foi construída com muito carinho e não é só uma casa, agora vocês tem um conforto e um lar digno”, disse o ministro Bruno Araújo ao entregar as chaves.

Para Uenia Letícia Conceição Silva, de 29 anos, mãe de Maria Karolini Silva, que nasceu com microcefalia há sete meses, a emoção foi muito grande ao receber as chaves da casa própria. “Foi um momento emocionante, pois não esperava ganhar essa casa.  Se não fosse essa oportunidade do governo eu não estaria hoje na minha casa com os meus filhos”, disse.

Segundo ela, foi uma surpresa ouvir o seu nome sendo chamado no palco. “Eu sempre quis uma casa só que nunca tinha feito cadastro para participar. E aí de uma hora pra outra eles me ligaram e pediram pra eu levar os documentos para me cadastrar e ficar esperando a oportunidade. Quando recebi a ligação, me convidaram para a inauguração, só que não era previsto nada pra mim. Não estava nem esperando”, relatou emocionada.

Na ocasião, Ilmara Maciel de Souza, de 22 anos, mãe do pequeno Pedro Souza Neres, também recebeu as chaves da casa própria. A partir de agora as famílias beneficiadas terão mais conforto para criar os seus filhos com dignidade.

A entrega de unidades habitacionais para famílias que têm crianças nascidas com microcefalia é uma alteração da regra realizada pelo Ministério das Cidades. A nova medida determina que essas famílias não precisam mais passar pelo sorteio para obter a moradia  concedida pelo Minha Casa, Minha Vida. Para ser atendida nessa nova forma de acesso, a família também tem que estar enquadrada no Faixa 1, que é do grupo que tem renda familiar de até R$ 1,8 mil.

A prefeitura do município é responsável por intermediar a relação entre o banco e os beneficiários, prestar esclarecimento e tomar as providências finais para a entrega da unidade habitacional.

Fonte:http://www.psdb.org.br/

Share This: