‘Parecia filme’, diz moradora que saiu de casa com filhos após vazamento

Uma moradora de Guarujá afirma que viveu ‘cenas de filme’ após um vazamento de gás ter ocorrido na tarde desta quinta-feira (14). Marielly Fresanso diz que teve que sair às pressas de casa com os dois filhos pequenos, que também tiveram que usar máscaras, mesmo dentro da residência.

Ela conta que mora a cerca de 1 km de distância do local onde o vazamento ocorreu, mas mesmo assim teve que deixar sua casa. “Como tenho dois bebês, precisei sair rapidamente da casa da minha família, pois a situação por aqui estava bem complicada. A fumaça atingiu essa área por conta do vento. Posteriormente, passei em frente à Localfrio e percebi que lá não havia fumaça”, explica.

Apesar dos esforços da família, o gás conseguiu entrar na casa por frestas e forçou todos a saírem correndo do local. “Entrou fumaça por um dos banheiros e tínhamos que usar máscara dentro de casa”, afirma Marielly.

Após perceber que não poderiam ficar em casa, Marielly e sua família decidiram ir para a residência de parentes e se depararam com uma fumaça densa na rua. “Nós só conseguíamos enxergar a curta distância, bem curta mesmo. Parecia coisa de filme. Minha irmã seguiu para o bairro da Enseada, com o marido e o esposo. Eu e o restante da minha família fomos para a casa do meu tio”.

Além da família de Marielly, outras pessoas também tiveram que deixar a área. “Muita gente abandonou o bairro. Todos que tinham crianças pequenas e idosos em casa foram para casas de amigos e parentes”, conclui.

Início do vazamento
O incidente ocorreu por volta das 15h30 desta quinta-feira (14) e a fumaça rapidamente se espalhou pela cidade de Guarujá. Fotos registradas por moradores mostravam a Avenida Santos Dummont, a principal do município, coberta por uma névoa. Vários moradores recorreram a equipamentos de proteção.

Segundo a assessoria de imprensa da Localfrio, o contêiner que armazenava o ácido foi invadido por água, gerando uma reação química que pode colocar em risco a saúde das pessoas que entrarem em contato com a névoa.

Até a noite da última quinta-feira (14), 52 pessoas tinham recebido atendimento médico apresentando ardência nos olhos ou mal-estar ocasionado pela fumaça. Desse total, 30 foram para a UPA de Vicente de Carvalho, seis para a UPA Boa Esperança, 15 para o Pam Rodoviária e uma para o Hospital Guarujá. Apesar do transtorno, as vítimas não correm risco de morte.

Em nota, a administração municipal afirma que a prefeitura está trabalhando em conjunto com agentes da Defesa Civil Estadual, Corpo de Bombeiros, Exército e secretarias de Saúde, Meio Ambiente, Governo e Defesa Social e monitorando a situação.

A orientação é para as pessoas que moram em um raio de até 100 metros próximo ao local – ou seja, pessoas que residem no quadrante das avenidas Alvorada, Adriano Dias dos Santos, Santos Dumont e Rua Santidade Papa Paulo VI, além do Sitio Conceiçãozinha – procurem a casa de amigos ou parentes.

Quem precisar de atendimento médico por irritação nos olhos, dificuldades de respirar, tontura ou náuseas deve procurar somente as UPAs Boa Esperança, Rodoviária e Enseada.

Fonte:http://g1.globo.com/

Share This: