Qual a posição segura para o bebê dormir?

O medo de o bebê sofrer morte súbita é grande entre as mães. Para diminuir esse risco, a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que a criança seja colocada no berço de barriga para cima, tanto para o cochilo durante o dia, quanto para o sono da noite.  Nessa posição, a criança respira melhor e tem menos risco de engasgo. Estudos mostram que colocar o bebê nessa posição pode reduzir em até 70% o risco de morte súbita.

A neuropediatra Magda Lahorgue Nunes, coordenadora do Grupo de Estudo do Sono na Infância da Sociedade Brasileira de Pediatria e pesquisadora do Instituto do Cérebro, explica que a morte súbita infantil pode ocorrer até o primeiro ano de vida, mas a prevalência é entre bebês entre o 2º e 3º mês e prematuros.

Em 2009, a Sociedade Brasileira de Pediatria e a Pastoral da Criança fizeram uma campanha chamada “Dormir de Barriga para Cima é Mais Seguro”. Recentemente, a aluna de doutorado Rúbia Maestri fez um levantamento coordenado pela neuropediatra Magda Lahorgue Nunes, para saber como os médicos orientavam seus pacientes e qual foi a mudança depois da campanha.

O questionário foi respondido por 1.654 médicos membros da Sociedade Brasileira de Pediatria. Antes da campanha, 23,1% consideravam a posição de barriga para cima a mais correta para o bebê dormir; 67,5% eram a favor da posição lateral durante o sono, e 9,3% orientavam as mães a colocar seus filhos na posição de barriga para baixo. Após a campanha, houve uma virada:  76,2% passaram a orientar a posição correta (barriga para cima).

“Alguns especialistas ainda resistem em mudar a orientação, apesar de estudos internacionais já terem mostrado que a morte súbita infantil (MSI) caiu em países onde as mães passaram a seguir a nova orientação”, diz a neuropediatra.

A causa da MSI é desconhecida, mas sabe-se que alguns fatores aumentam o risco de morte súbita. São eles:

– bebê dormindo de bruços ou de lado;
– exposição ao fumo durante a gravidez;
– exposição à fumaça de cigarro após o nascimento;
– consumo de álcool e drogas durante a gestação;
– nascimento prematuro ou com baixo peso;
– falta de aleitamento materno;
– uso de colchões ou travesseiros muito moles e fofos;
– presença de brinquedos, travesseiros, rolinhos e outros objetos no berço que podem sufocar o bebê;
– Superaquecimento do bebê: quando a temperatura do bebê é muita alta, o metabolismo fica mais lento e o bebê precisa respirar com mais força, o que nem sempre consegue. Segundo o pediatra do Hospital Albert Einstein, Victor Nudelman, para saber como está a temperatura do bebê, coloque as mãos dentro da roupinha dele e veja se está quente. “Não se mede a temperatura de um bebê pegando nas mãos dele. As mãos podem estar geladas, mas se o corpo estiver quente é sinal de que ele não está com frio.”

Dicas para colocar o bebê para dormir

– Evite o excesso de roupas e fraldas que possam dificultar os movimentos do bebê e superaquecer seu corpo;
– Deixe os braços do bebê livres, para fora das cobertas para evitar que ele escorregue e fique asfixiado;
– Deixe a cama livre de almofadas, travesseiros, “cheirinhos” (paninhos usados por algumas crianças para dormir), bichos de pelúcia e outros brinquedos que possam dificultar a respiração do bebê;
– Deixe o berço sem protetor;
– Deixe a  temperatura do quarto confortável para um adulto vestindo roupas leves;
– Não coloque o bebê para dormir na cama dos pais.

http://g1.globo.com/bemestar

Share This: