SAÚDE: CÂNCER DE PRÓSTATA E MOTIVOS PARA CONSUMIR LEITE

10 Motivos de A a Z para consumir leite e derivados

Além do cálcio, o leite tem uma série de vitaminas e minerais essenciais ao organismo, podendo ser considerado um alimento de elevada densidade nutritiva. A nutricionista Beatriz Botéquio listou os benefícios contidos na bebida. Confira:

1. Vitamina A – que atua na visão e no crescimento das células;

2. Vitaminas do Complexo B – que atuam no metabolismo energético;

3. Cálcio – principal nutriente para a saúde óssea;

4. Presença do carboidrato lactose – tem a importante missão de contribuir para o aumento da absorção do cálcio, do magnésio e do fósforo pelo intestino;

5. Fósforo – atua em conjunto com o cálcio na formação dos ossos e dentes;

6. Gorduras – uma das principais funções nutricionais das gorduras presentes em leite e derivados é levar para o organismo as vitaminas A e D, além da E e K, que vêm sendo associadas a benefícios como melhora da condição cardiovascular e do sistema imunológico;

7. Magnésio – participa de diversas funções das células, incluindo o metabolismo de energia;

8. Proteína – o leite apresenta uma proteína de alto valor biológico, contemplando todos os aminoácidos essenciais que nosso organismo não consegue sintetizar por conta própria;

9. Selênio – antioxidante que auxilia o corpo no combate a radicais livres;

10. Zinco – atua na formação de enzimas e também como antioxidante, que ajuda o organismo a combater o envelhecimento das células.

Exercícios físicos contra o câncer de próstata

 

Novembro é o mês de conscientização da luta contra o câncer de próstata e a detecção precoce do problema é um dos principais passos para salvar vidas. Além disso, a doença também pode ser combatida com a prática de exercícios físicos. “A realização de atividades físicas, junto com uma dieta rica em fibra e pobre em gorduras, reduz o risco de desenvolvimento da patologia. Pacientes que fazem exercícios regularmente também têm uma menor chance de morte causada por câncer de próstata”, afirma o médico urologista Fabio Alexandre Pardal.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Harvard analisou a prática de exercícios físicos de 2.686 pacientes. As pessoas que andavam por mais de quatro horas durante uma semana apresentaram redução de 23% do risco de morte em relação àqueles que caminhavam apenas 20 minutos, sendo que para os que praticaram exercícios mais intensos, como corrida, tênis ou bicicleta, o risco de mortalidade foi reduzido em 35%, uma vez que a atividade física diminui a produção de substâncias inflamatórias e estimula a resposta imunológica. Ainda assim, os exames preventivos como PSA – Antígeno prostático específico (exame de sangue) e toque retal devem fazer parte da rotina da população masculina.

Fonte:http://www.clickguarulhos.com.br/

Share This: