Saúde de Guarulhos faz plano para múltiplas vítimas em caso de catástrofe

A cerimônia de abertura das Olimpíadas 2016 será nesta sexta-feira (5) no Rio de Janeiro, mas os torneios já começaram, inclusive na Arena Corinthians (Itaquera), visto que a cidade de São Paulo sediará jogos de futebol neste local. Por ser o segundo maior município do Estado e abrigar um Aeroporto Internacional, Guarulhos se preparou e fez um Plano de Contingência para o atendimento de múltiplas vítimas em caso de catástrofes ou desastres.

Elaborado com o apoio do Ministério da Defesa e em conjunto com a Defesa Civil do município, Secretaria de Transportes e Trânsito, Segurança Pública e demais repartições públicas, o Plano de Contingência contempla estratégias de atuação em situações de catástrofes. O objetivo é garantir assistência sistematizada, rápida, segura e eficaz às múltiplas vítimas em eventual desastre, estabelecendo fluxos de atendimentos e adequações de processos de trabalho dos serviços de saúde.

Para tanto, o Plano elegeu hospitais, serviços de pronto-atendimento e Unidades Básicas de Saúde (UBS) de referência para o atendimento das vítimas. Todos eles situados em locais estratégicos, com fácil acesso às rodovias que cortam a cidade e próximos do aeroporto. O planejamento também define escolas para funcionar como abrigo de feridos, locais para servir de campos de pouso, profissionais de plantão e outras unidades de saúde para dar suporte aos serviços de referência.

Em uma situação de tragédia, o alarme acionará a médica Magda Costa Silva, coordenadora da Regulação de Urgências e Emergências da Secretaria de Saúde, que desencadeará toda a estratégia planejada. Ela, que já atuou em situações reais de catástrofes verdadeiras, como a queda do avião da TAM em 2007 e o desabamento da igreja evangélica na avenida Lins de Vasconcelos, na Capital, imediatamente ativará todos os profissionais e serviços de saúde elencados no Plano para o atendimento das vítimas.

“Desde a Copa do Mundo de 2014 que a cidade vem se preparando para atuar frente a uma demanda inesperada em curto espaço de tempo”, destacou a médica. Ela explicou ainda que o Plano de Contingência pode ser ativado em qualquer situação de emergência, como em um eventual acidente aéreo. “O município deve estar atualizado com a realização de simulados entre todos os profissionais dos serviços médicos de urgência e emergência, para que esteja preparado permanentemente”, ressaltou.

Fonte:http://www.clickguarulhos.com.br/

Share This: