Sugestão para o imbroglio do PT guarulhense

O PT de Guarulhos está num beco sem saída. Boa parte dos petistas preferiria que o candidato do partido ao Bom Clima fosse o ex-prefeito Elói Pietá, mas também concorrem o deputado estadual Alencar Santana e o vereador e ex-secretário da Educação, Moacir de Souza.
Segundo o jornalista Pedro Notaro, há rumores de que Moacir já jogou a toalha. Ficaria muito feliz em ser vice de Pietá. Mas o prefeito Almeida está chateado com Pietá, porque vem criticando a gestão atual.
Está em discussão qual o critério a ser adotado para decidir. Se só os delegados votarem, certamente Alencar ou Moacir ganharão. Se todos os filiados opinarem, Elói levaria a melhor. Almeida gostaria que não houvesse prévia, mas, se tiver, que seja pelo voto apenas dos delegados.
Se Tancredo Neves fosse vivo e pudesse opinar, certamente encontraria uma solução conciliadora.
Alencar nada tem a perder. Se for o candidato a prefeito e perder, continua com seu mandato de deputado, do qual não precisa afastar-se um dia sequer para a campanha.
Moacir pode ficar sem mandato se concorrer a prefeito ou a vice. Se for candidato a vereador, dificilmente perderia.
Elói tem dito que não faz questão de concorrer, mas que atenderia a um chamado do partido.
Em sendo assim, o melhor para o PT é que Alencar seja candidato a prefeito e que os grupos de Pietá e Moacir indiquem o vice. Talvez fosse mais inteligente ter um vice de outro partido.
Moacir concorreria à Câmara Municipal e seria apoiado para presidi-la.
Elói não disputaria e atuaria na campanha de Janete Pietá a vereadora.
Se o PT ganhar a eleição, Elói poderia ser o secretário de Governo, pois experiência não lhe falta e poderia atuar bem na articulação política. E, certamente, como consolo por não concorrer à Prefeitura, é bem possível que ele pleiteasse que sua ex-vice Eneide Lima voltasse a comandar a Secretaria da Educação.
Poder-se-ia dizer que, entre mortos e feridos, salvar-se-iam todos.
Porém, resta combinar com os russos. Se com esse arranjo o PT perder a eleição para prefeito, Alencar continuaria sendo deputado estadual, Moacir seria vereador e Janete também. Eneide seria assessora de Janete na Câmara e Elói poderia se dedicar aos estudos, sua tarefa predileta nessa altura da vida.

Não, não precisam me pagar nada pela consultoria. Nesses tempos de Lava-Jato, é melhor não correr risco. Fica pela nossa amizade, daqueles tempos em que Elói, Fantazini, Albertão, Moacir, Almeida e Cia. gostavam quando a Imprensa (leia-se Jornal Olho Vivo) denunciava as irregularidades na Prefeitura e as mazelas da cidade. Naquele tempo, décadas de 1980 e 1990, o PT não achava que a mídia era golpista.

FOnte:http://www.clickguarulhos.com.br/

Share This: