Tendas de combate à dengue são abertas na Zona Leste de São Paulo

Duas tendas para auxílio no combate à dengue começam a funcionar na Zona Leste de São Paulo nesta quarta-feira (24). As estruturas serão montadas na região de Lajeado e Cangaíba. Os bairros de Lajeado, Penha, Parque do Carmo e Itaquera apresentam o maior número de casos da doença na capital paulista.

O bairro do Lajeado lidera o número de casos confirmados, onde 68 pessoas contraíram dengue em janeiro de 2016. A reportagem do Bom Dia São Paulo esteve no bairro e registrou lixo e carcaças com água acumulada nas ruas Padre Nildo do Amaral Júnior e Joana de Auvérnia. “Temos sentimento de abandono e a convicção de que dentro de um mês estará pior”, desabafa um morador.

A cidade de São Paulo registrou 827 casos da doença nas quatro primeiras semanas deste ano, contra 710 casos no mesmo período, no ano passado. Em 2016 houveram 5.877 notificações, contra 2.406 em 2015.

“O cenário preocupa. Pode acontecer na capital o que houve no interior e no litoral da cidade em 2015. Cada um deve cuidar da sua casa”, alerta o secretário municipal da Saúde, Alexandre Padilha. Segundo ele, até o momento não houve registro de morte por dengue. Foram dois casos de febre Chikungunya adquiridos na capital e quatro casos de grávidas contaminadas com o Vírus da Zika adquiridos em outras cidades.

Tendas
As tendas têm o objetivo de ajudar no controle dos casos de dengue e desafogar as unidades de saúde, que acabam com ala de emergência lotadas. Uma das tendas funcionará na Avenida Cangaíba, 3.722, e a outra na Estrada do Lajeado Velho, 76.

Primeiramente, o cidadão deve passar em uma unidade de saúde, passar pela triagem, realizar cadastro na sala de espera, para então adquirir o encaminhamento. A tenda de Cangaíba fica próxima a uma unidade.

Nas tendas é possível realizar consultas entre 8h e 18h. Na tenda de Cangaiba haverá quatro medicos, doze enfermeiros e 25 poltronas para repouso. O paciente fica em observação e, dependendo da situação, ele tem alta ou é encaminhado para um hospital.

Os cidadãos adquirem um cartão elaborado pela Secretaria Municipal da Saúde com sua identificação, sintomas e registro do exame clínico. É importante portar o documento em toda consulta para que os profissionais da saíde consigam acompanhar os casos.

Fonte:http://g1.globo.com/

Share This: