Vereadores se desentendem sobre PL e sessão é encerrada

Tema de forte discussão na sessão plenária desta terça-feira, 02, na Câmara Municipal, o Projeto de Lei que regulamenta o serviço de entrega rápida foi o grande motivo para o encerramento precoce dos trabalhos na Casa de Leis. Em virtude deste fato, a votação do PL sobre a proibição de alimentação para os pombos, de autoria do vereador Toninho da Farmácia (PRP), foi prejudicada e deve voltar à avaliação dos parlamentares na próxima terça-feira, 09.

“Eu acredito que a discussão que tivemos, os vereadores demonstraram interesse em apresentar melhorias no Projeto (de Lei). Estamos abertos às melhorias e tudo que apresentamos de ideias novas e melhoras será sempre salutar. Vamos ter a reunião com os taxistas, os trabalhadores da entrega rápida e vereadores para que possamos chegar a um objetivo comum, que é o de regulamentar o serviço”, explicou o vereador Claudilson Pezão (PT).

Ocupando quase a totalidade dos lugares disponíveis na galeria da Câmara Municipal, os taxistas que estavam representados pelo vereador Edmilson Americano (PHS) apresentaram como sugestão a proibição do passageiro de acompanhar o veículo destinado para realizar a entrega de mercadorias e produtos, e dessa forma fazer uso do serviço de táxi disponível no local. O petista Pezão ressaltou a escassez do transporte defendido por Americano nas regiões mais afastadas do Centro.

“Esse trabalho vai beneficiar toda população, que hoje em qualquer parte da cidade você poderá ver que ele já existe. E precisa realmente ser regulamentado, e por isso estamos a disposição para dialogar com os interessados para que possam ser todos protegidos pela Lei. A função do trabalhador da entrega rápida é pegar o cliente do supermercado e conduzir até em casa. Se você rodar pela periferia de Guarulhos não tem táxi e em alguns locais você pode esperar o táxi por até 1h30″, justificou Pezão.

Claudilson também destacou que o serviço de entrega rápida deve ser fiscalizado e regulamentado pela Secretaria de Transporte e Trânsito (STT), além de apontar os benefícios que a população pode obter com a implantação desta operação. “Um carro utilitário para prestar esse serviço e queremos ele na cidade toda. Toda categoria tem que defender a sua posição e o taxista alega que esse trabalho tira os passageiros deles. Mas quem vai ao supermercado fazer compras ele não é um passageiro comum”.

A discussão do tema prejudicou a votação do Projeto de Lei que prevê a proibição de alimentar pombos em áreas públicas da cidade. “Não é justo fecharmos os olhos e fingir que simplesmente tem um passarinho e que estamos querendo espantar. Mas criando uma maneira de proteger as pessoas. Esse projeto visa a saúde, isso por que da forma que está a saúde pública temos que tomar alguma atitude. Na cidade ele é um grande risco de doença”, disse o vereador Toninho da Farmácia.

fonte: guarulhosweb.com.br

Share This: