Volkswagen se mostra disposta a “aceitar consequências” de seus atos

Washington, 8 out (EFE).- O presidente da Volkswagen nos Estados Unidos, Michael Horn, testemunhará nesta quinta-feira a um comitê do Congresso americano que investiga adulteração de motores diesel e afirmará que a companhia está disposta a “aceitar as consequências” de seus atos”.

Horn, cujo testemunho foi divulgado hoje no site do Comitê de Energia e Comércio da Câmara dos Representantes, deve assinalar que o software ilegal instalado para manipular as emissões de óxidos de nitrogênio está presente em três gerações de motores.

“Há três grupos de veículos envolvidos, cada um com uma das três gerações do motor de 2 litros diesel. Cada um requer uma solução diferente”, assinalou o testemunho de Horn.

Horn não revelará detalhes da investigação realizada pela VW desde que no dia 18 de setembro a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) divulgou que quase meio milhão de automóveis do Grupo Volkswagen estão adulterados para esconder suas emissões reais.

Segundo Horn, os responsáveis pelo engano “serão identificados” e sofrerão as consequências mas “qualquer informação neste momento é preliminar. Pedimos sua compreensão até que terminemos este trabalho”.

Horn também pedirá desculpas, “em nome da companhia e de seus colegas na Alemanha”, pelo “uso de um programa de software” cujo fim era manipular as emissões durante os testes.

Ele também explicará que o software ilegal fazia com que os motores “emitissem níveis de óxidos de nitrogênio mais elevados quando os veículos eram dirigidos” em estradas que quando eram testados em laboratório.

Fonte: http://economia.uol.com.br/

Share This: